Terça-feira, 11 de Maio de 2021
©Arquivo/VTM

Três acusados de corrupção para obtenção de carta de condução

Caso envolve um examinador do Centro de Exames Privado de Mirandela, um instrutor e um candidato de Miranda do Douro.

O Ministério Público acusou três pessoas de corrupção para obtenção da carta de condução num caso que envolve um examinador do Centro de Exames Privado de Mirandela, um instrutor e um candidato de Miranda do Douro.

O despacho de acusação de 16 de abril foi divulgado esta semana pela Procuradoria-geral Regional do Porto e refere-se a um exame teórico para obtenção da carta de condução feito há oito anos, em que o examinador terá recebido 500 euros de um acordo com o instrutor e o instruendo.

O examinador do Centro de Exames Privado de Mirandela, à data pertencente à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Tábua, está acusado da prática de um crime de corrupção ativa e o instrutor da Escola de Condução de Miranda do Douro e o instruendo da prática do crime de corrupção passiva.

O Ministério Público considerou haver indícios de que, “em 2012, o arguido examinador se mostrou disponível perante o arguido instrutor para, a troco de dinheiro, auxiliar candidatos que este lhe referenciasse na aprovação na prova teórica para obtenção da carta de condução”.

Segundo a acusação, “no seguimento desta disponibilidade assim manifestada, o arguido instrutor intermediou a prestação do referido auxílio ao arguido candidato, que já procurara a sua escola por ter ouvido dizer que aí se arranjavam cartas de forma rápida e sem reprovar nos exames”.

O exame teórico ocorreu a 11 de fevereiro de 2013 no Centro de Exames Privado de Mirandela com a garantia, segundo ainda a acusação, da ajuda do examinador ao candidato, a troco de 500 euros.

 

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.