Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

Tumultos e tiros numa discoteca em Campo de Jales

Alguns feridos ligeiros motivados por alguns tiros foram a consequência de um “sururu” registado numa discoteca de Campo de Jales. Tudo começou numa discussão entre dois clientes, cuja conversa azedou, ao ponto de um deles, residente em Ribalonga, Alijó, ter disparado, para o ar, quatro tiros. Foi o rastilho para os tumultos que se registaram. […]

Alguns feridos ligeiros motivados por alguns tiros foram a consequência de um “sururu” registado numa discoteca de Campo de Jales. Tudo começou numa discussão entre dois clientes, cuja conversa azedou, ao ponto de um deles, residente em Ribalonga, Alijó, ter disparado, para o ar, quatro tiros. Foi o rastilho para os tumultos que se registaram.

Alguns dos presentes ficaram revoltados com o autor dos disparos e quiseram ajustar contas com este, instalando-se a confusão. Valeu a atitude do dono da discoteca, no sentido de apaziguar os ânimos e, depois, a presença da GNR. Depois do efectivo de Vila Pouca de Aguiar, compareceram ainda militares da GNR de Ribeira de Pena e de Vila Real, num total de uma dúzia de homens. Mesmo com os ânimos muito exaltados, as autoridades conseguiram retirar, são e salvo, o emigrante, de 36 anos, do meio da confusão. Alguns dos clientes, com ferimentos ligeiros, tiveram de ser transportados para o Hospital de Vila Real.

O autor dos disparos foi conduzido ao posto da GNR de Vila Pouca de Aguiar, onde foi ouvido. Foi-lhe apreendida uma pistola, de calibre 6,35mm.

O caso está agora sob inquérito judicial, ficando o emigrante sujeito a prestação do termo de identidade e residência.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.