Sábado, 27 de Novembro de 2021

UCC de Torre de Moncorvo “está limpa” do novo coronavírus

Instituição sem casos positivos após dois meses.

-PUB-

A Unidade de Cuidados Continuados (UCC) de Torre de Moncorvo "está limpa" do novo coronavírus, dois meses depois de detetados os primeiros casos positivos, indicou hoje à Lusa o provedor da Misericórdia local, entidade gestora daquela a unidade de saúde.

"A unidade está limpa, já que os testes efetuados ao longo dos últimos tempos foram dando negativo e hoje recebemos a conformação do último doente a testar negativo, ", disse à Lusa Fernando Gil.

Segundo o responsável, todos os funcionários já regressaram ao serviço. Na UCC encontram-se 15 doentes internados.

As primeiras análises feitas aos utentes da UCC de Torre de Moncorvo aconteceram no dia 01 de abril, sendo que os primeiros resultados foram conhecidos no dia 04 de abril, com 14 pessoas que deram positivo para covid-19 (13 utentes e uma funcionária).

No dia 6 de abril, testes efetuados por "zaragatoa" ditavam que mais 10 pessoas estavam infetadas (quatro enfermeiros, um fisioterapeuta e cinco auxiliares).

Segundo o provedor, a UCC de Torre de Moncorvo registou a morte de quatro utentes infetados pelo novo coronavírus que acabaram por morrer em ambiente hospitalar.

Uma equipa de voluntários da ULS Nordeste acompanhou os utentes da Unidade de Cuidados Continuados de Moncorvo e foi composta por um médico, três enfermeiros e duas auxiliares. Pertencentes à unidade de cuidados continuados local, estivem ao serviço quatro enfermeiros apoiados por seis a oito auxiliares durante os últimos dois meses.

No dia 15 de abril o provedor da Misericórdia de Moncorvo anunciava que cinco utentes negativos para covid-19 regressaram à unidade de cuidados continuados local, que foi alvo de uma ação de descontaminação levada a cabo por militares do Exército, após um período de internamento numa unidade hospitalar de Vila Nova de Gaia.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.