Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021

Unidade de Vila Real é a segunda da Europa a conquistar certificação

Só este ano a unidade de Vila Real do CRI foi responsável pelo atendimento de mais de 1500 utentes, dos quais 200 casos novos. Um trabalho árduo de apoio a toxicodependentes que foi agora reconhecido ao nível internacional. A certificação das unidades de Chaves e Alijó serão os próximos passos, estando ainda num horizonte próximo […]

-PUB-

Só este ano a unidade de Vila Real do CRI foi responsável pelo atendimento de mais de 1500 utentes, dos quais 200 casos novos. Um trabalho árduo de apoio a toxicodependentes que foi agora reconhecido ao nível internacional. A certificação das unidades de Chaves e Alijó serão os próximos passos, estando ainda num horizonte próximo a abertura de uma nova unidade do Centro em Lamego

A equipa de tratamento da Unidade de Vila Real do Centro de Respostas Integradas (CRI) viu ser confirmado, no dia 28, o seu processo de certificação de qualidade, um reconhecimento, único em Portugal e o segundo atribuído na Europa, que acredita aquele serviço de tratamento e reinserção, em ambulatório, de dependência e patologias associadas.

A boa-nova foi confirmada ao Nosso Jornal por Armindo Liberal, director do CRI de Vila Real, que engloba, para além da unidade localizada na capital de distrito, outros dois núcleos, situados em Chaves e Alijó.

A certificação tem como objectivo o aperfeiçoamento contínuo da qualidade do serviços prestados, e constitui, como classifica Armindo Liberal, “um instrumento que permite uma monitorização constante do trabalho e a implementação de melhorias”.

“Foi a equipa de tratamento de Vila Real que viu concluída a certificação” segundo a norma ISO 9001 de 2003, no entanto, o mesmo responsável garantiu que o próximo passo será encetar o processo nas outras duas unidades, que, no total, servem 23 municípios, 14 do concelho de Vila Real e 9 do Douro Sul.

Na área a que se dedica a equipa de tratamento vila-realense, esta é a primeira certificação atribuída em Portugal, tendo apenas um centro espanhol merecido o reconhecimento ao nível europeu.

Armindo liberal revelou que o processo de certificação da unidade de Chaves poderá ter início já no próximo ano, sendo de destacar que, pelo seu carácter transfronteiriço, assim que se concretizar a acreditação, o CRI de Vila Real vai voltar a estar na linha da frente, já que aquela será assim a primeira do género (que trabalha segundo a colaboração entre dois países) no mundo, a conseguir o reconhecimento.

Numa fase posterior será ainda diligenciado o processo de certificação de Alijó, que, à semelhança do que aconteceu em Vila Real e deverá acontecer em Chaves, é analisado, em Portugal pelo Instituto Português de Acreditação (IPAC) e, a nível europeu, pelo United Kingdom Accreditation Service (UKAS).

Com 17 profissionais de saúde, a equipa de tratamento de Vila Real acompanhou este ano cerca de 1500 utentes, 200 dos quais considerados como novos casos. Um aumento significativo relativamente a anos anteriores e que se deve à inclusão no Instituto da Droga e Toxicodependência dos casos de alcoolismo, que, ao nível do distrito, passaram assim a ser acompanhados na Unidade de Vila Real desde Janeiro deste ano.

Relativamente ao futuro do Centro, Armindo Liberal considera como “fundamental” a abertura da Unidade de Lamego, um projecto em curso, há algum tempo, que tem vindo a ser adiado devido à contenção financeira, mas cujas expectativas apontam para o próximo ano. “Já temos um espaço cedido pela autarquia mas precisa ainda de algum investimento”, explicou o director.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.