Sexta-feira, 22 de Outubro de 2021

UTAD e FPCEUP com projeto para “cuidar” de jovens em acolhimento residencial

“CareME” é o nome do projeto que está a ser desenvolvido por uma equipa de investigação da UTAD, e do FPCEUP com o Instituto de Segurança Social que propõe uma intervenção piloto em instituições de acolhimento residencial de jovens, no Centro Distrital do Porto.

-PUB-

O objetivo desta investigação-ação, financiada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, é implementar e testar “uma resposta de intervenção psicológica face às necessidades dos cuidadores, ao nível da relação que estabelecem com os jovens”, refere Catarina Pinheiro Mota, docente e investigadora da UTAD.

O estudo, que visa avaliar os efeitos da intervenção com os cuidadores e acompanhar em simultâneo o desenvolvimento de jovens que vivem nas instituições, abrange cerca de 240 cuidadores de 20 instituições.

Devido às constantes vicissitudes que os cuidadores enfrentam no contexto de acolhimento residencial torna-se “urgente o investimento na formação especializada, na supervisão continuada e no desenvolvimento emocional dos cuidadores” afirma Paula Mena Matos, da FPCEUP, pois as “vivência prévias de adversidade dos jovens que chegam à instituição obriga a desafios constantes para os cuidadores, que se confrontam frequentemente com o desejo de ajudar, associado a um sentimento de impotência”, sublinha Catarina Pinheiro Mota.

Este projeto vem assim ao encontro da necessidade sentida pelos intervenientes, na “criação de condições laborais que permitam aos cuidadores sentir-se apoiados no seu trabalho”, salientam as investigadoras.

Sendo os cuidadores figuras de “extrema relevância” para estes adolescentes, e embora não “substitutos de figuras parentais”, podem desempenhar um papel “decisivo na promoção do bem-estar e da adaptação psicossocial, fornecendo segurança emocional”, pelo que o projeto ao dirigir o olhar a quem cuida, pretende “garantir as melhores condições para o desenvolvimento de quem é cuidado”, concluem.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.