Quarta-feira, 6 de Julho de 2022

UTAD reivindica Centro de Auto-Rendimento

Neste ano lectivo, o Departamento de Desporto da UTAD vai completar 20 anos de existência e, mais uma vez, os seus cursos foram dos que maior sucesso registaram, ao nível das colocações no concurso de acesso ao Ensino Superior, ficando as suas vagas preenchidas, praticamente, a 100 por cento. Mas a UTAD quer mais. A […]

Neste ano lectivo, o Departamento de Desporto da UTAD vai completar 20 anos de existência e, mais uma vez, os seus cursos foram dos que maior sucesso registaram, ao nível das colocações no concurso de acesso ao Ensino Superior, ficando as suas vagas preenchidas, praticamente, a 100 por cento. Mas a UTAD quer mais. A universidade transmontana reivindica a criação de um Centro de Auto-Rendimento, uma ideia que não é posta de parte, pelo Governo.

“Apesar de alguma resistência, por parte das Federações, pretendemos instalar Centros de Auto-Rendimento, também no interior do país”, explicou Laurentino Dias, Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, em resposta ao repto lançado pela Universidade de Trás–os-Montes e Alto Douro (UTAD), no dia 9, no âmbito da abertura oficial do ano lectivo dos seus cursos de licenciatura do Departamento de Desporto.

Segundo o mesmo responsável político, o Governo tem já em curso um projecto de criação de uma rede de centros de auto-rendimento que conta com um investimento de cerca de 50 milhões de euros e que já foi responsável pela criação, por exemplo, dos centros de auto-rendimento, em várias modalidades, nas localidades de Montemor-o-Velho, Lamego, Caldas da Rainha e Sangalhos, entre outros.

Apesar de não adiantar uma resposta à intenção da UTAD, Laurentino Dias realçou que, no que diz respeito à área desportiva, a prova da aposta do Governo, em Vila Real, é clara, tendo em conta que, no âmbito da reestruturação do Instituto de Desporto de Portugal (IDP), foi exactamente a capital de distrito transmontana a escolhida, como “morada” daquela instituição, a nível regional.

“Nos próximos dias, o Conselho de Ministros deve aprovar a instalação do IDP regional, em Vila Real”, confirmou o Secretário de Estado, realçando que, com essa nova estrutura, “o Governo vai ter uma relação permanente e privilegiada com a Região Norte, através de Vila Real”.

O Departamento de Desporto da UTAD que, neste ano lectivo, comemora o seu 20.º aniversário, conta, actualmente, com uma oferta de três cursos, Educação Física e Desporto Escolar, Ciências do Desporto e Reabilitação Psicomotora, os quais tiveram uma grande adesão, por parte dos candidatos ao Ensino Superior, sobrando, apenas, cinco vagas, para a segunda fase do concurso.

“Neste momento, temos o departamento com mais estudantes, a nível nacional. Se o número de alunos que concorreram para a UTAD, em primeira opção, se mantiver, nos próximos anos iremos continuar com muita sorte, nesta área de estudos da Educação Física, Desporto e Reabilitação Psicomotora”, explicou Miguel Videira Monteiro, Coordenador daquele Departamento da UTAD e representante, recentemente empossado, das licenciaturas de Desporto das universidades portuguesas, no Conselho Nacional de Desporto.

Segundo o mesmo responsável, o Departamento conta com 700 alunos e começa a sentir a necessidade de alargar as suas instalações.

“Temos um equipamento dos Jogos Olímpicos que comprámos, em Barcelona, em 1992, o qual está, praticamente, encaixotado, porque não temos onde o montar, sem inviabilizar a prática de outras modalidades, tendo em conta que são equipamentos fixos”, revelou Miguel Videira Monteiro, exemplificando, assim, a necessidade de mais infra-estruturas desportivas, na cidade de Vila Real.

Outros dos anseios da academia transmontana, no que diz respeito ao Desporto, passa pela criação de um Centro de Medicina Desportiva e pelo desenvolvimento de um conjunto de pós-graduação em áreas como a Medicina e a Enfermagem desportivas.

“Queríamos que o Secretário de Estado visse, “in loco”, a qualidade e quantidade do nosso trabalho”, concluiu o docente da UTAD.

 

Maria Meireles

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.