Sexta-feira, 25 de Junho de 2021

UTAD resgatou e catalogou 99 contos e lendas de Trás-os-Montes

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) informou hoje que resgatou e catalogou 99 contos e lendas, nos concelhos de Bragança e Vinhais, no âmbito de um projeto vencedor do orçamento participativo de Portugal.

-PUB-

O projeto “Contos e Lendas Transmontanos” foi um dos vencedores do orçamento participativo em 2017 e está a ser desenvolvido pela UTAD, localizada em Vila Real, no âmbito de um protocolo com a Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN).

A universidade disse hoje, em comunicado, que concluiu a primeira parte do projeto, que resultou no resgate e catalogação de 99 narrações da tradição oral e suas variantes dos concelhos de Bragança e Vinhais.

O “Contos e Lendas Transmontanos” segue agora para uma segunda fase e vai ser implementado nas comunidades escolares dos dois municípios, com a colaboração da Academia Ibérica da Máscara.

Os concelhos de Bragança e Vinhais estão, segundo referiu a UTAD, “entre os mais ricos do país em património cultural imaterial vivo".

Nestes municípios existe um grande número de narradores ativos, o que permitiu incorporar no projeto 39 vídeos com os “contadores de histórias” a transmitirem de viva voz os seus contos e lendas, tal como os ouviram aos antepassados.

De acordo com a UTAD, no espólio recolhido sobressaem os contos populares, desde religiosos, de animais, de fadas, jocosos e anticlericais, a par de um numeroso conjunto de lendas de lugares, de capelas, alminhas e cruzeiros, milagres, aparições da ‘virgem’, tesouros em ruínas de castros e castelos, mouros guerreiros e mouras encantadas, lobisomens, bruxas, almas penadas, trasgos e demónios.

No domínio das lendas, enquanto interpretações do povo sobre a “história oficial”, são também feitas alusões "às atrocidades do reino de Castela".

Por exemplo, em Vinhais, a academia disse que sobressaiu o “mito de Gasparona, uma heroína local que com dois chuços (objeto pontiagudo) nas mãos afugentou meio exército de castelhanos”.

No concelho de Bragança, por sua vez, ressaltou o “mito do conde de Ariães que, arrependido dos pecados terríveis que cometeu em vida (um deles foi atirar a sua mãe aos leões) antes de morrer introduziu-se num túmulo de pedra cheio de serpentes para aí ser devorado por elas e assim obter as bênçãos de Deus”.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.