Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Vila Real, 1 | Vizela, 2

Numa tarde fria no Monte da Forca, o último classificado, Vila Real, recebia a visita do líder, Vizela, num jogo que os locais não podiam perder. Mas, a derrota foi uma realidade difícil de compreender, pois em campo não se notou grande diferença entre os dois emblemas. Aliás, na primeira parte só houve uma equipa ao ataque, o Vila Real, mas o desperdício e a boa atuação do guarda-redes Albergaria foram preponderantes para o líder não sofrer três ou quatro golos antes do intervalo.

-PUB-

A necessitar urgentemente de pontos, os alvinegros entraram com tudo em campo, com boas triangulações no centro do terreno, onde Bukia e Schuster comandavam as operações, lançando perigosos ataques, sobretudo pela esquerda, onde Aquini esteve em destaque ao criar várias situações de finalização. Logo aos 10’, Schuster desperdiça na cara de Albergaria, que fez bem a mancha e evitou o pior para a sua baliza. Na recarga, Felipe ainda tenta o golo mas a defesa conseguiu desviar para longe. Dois minutos volvidos, Aquini faz tudo bem na esquerda, flete para o centro e remata, com a bola a sair ao lado. Aos 14’, grande trabalho de Felipe, que combina com Bukia, que entra na área e remata forte para mais uma boa defesa de Albergaria, no entanto, a bola ainda fica na área e já de ângulo difícil Aquini atira forte para o fundo da baliza. Alegria nas hostes da casa, com o golo que os vila-realenses já justificavam. Mesmo em vantagem, o Vila Real não tirou o pé do acelerador e foi à procura de aumentar a contagem. Aos 25’, novamente Aquini a ganhar na esquerda em velocidade, coloca no segundo poste, onde aparece Orlando a fazer o ‘amorti’ para Felipe que não consegue alvejar com êxito a baliza. Aos 40’, mais uma perdida dos locais, com Felipe a ganhar em velocidade, a entrar na área e a rematar forte para mais uma excelente intervenção de Albergaria, que era claramente o melhor jogador do Vizela em campo. Sem que nada o fizesse prever, os forasteiros vão chegar ao empate depois da apatia total na defesa da casa, com Luís Ferraz a aproveitar da melhor forma o cruzamento de Luís Ferraz e a bater de cabeça Miguel, que nada pode fazer para evitar a igualdade. Na única oportunidade que teve neste primeiro tempo, o líder marca e vai para o intervalo tranquilo.

Na segunda parte, o Vizela entrou melhor e esteve perto de marcar logo aos 46’, valeu Orlando nas tarefas defensivas a tirar da zona perigosa. Resposta de Felipe, já dentro da área, com a bola a sair às malhas laterais. Aos 58’, grande pontapé de Fininho, com Miguel a desviar para canto. A equipa vinda de Vizela respirava a tranquilidade da liderança, com o Vila Real a jogar sobre brasas e isso foi visível neste segundo período, onde a ansiedade tomou conta da equipa. Aos 62’, livre perigoso à entrada da área que Fininho marcou de forma superior e carimbou a reviravolta na contenda. A bola foi colocada na gaveta, Miguel ainda se esticou mas não conseguiu evitar o golo. Na jogada seguinte, Orlando é travado dentro da área, grande penalidade assinalada, mas Schuster não conseguiu bater Albergaria, que adivinhou o lado para o qual rematou o médio. Até ao final, os transmontanos ainda tiveram oportunidades para pelo menos empatar, mas Albergaria esteve em grande e segurou a vantagem da sua equipa.

Derrota demasiado penalizadora para os visitados, que não mereciam este desfecho, no entanto não se pode desperdiçar tantas ocasiões e falhar em momentos cruciais da partida.

No próximo domingo, o Vila Real desloca-se ao terreno do Felgueiras já o Vizela recebe a Oliveirense.

 

Nuno Pereira treinador do Vila Real

“Temos de reagir no próximo jogo”

“Foi um jogo bem disputado, entre duas boas equipas. Na primeira parte fomos muito superiores, dominamos por completo e criamos muitas situações de golo, mas só fomos eficazes por uma vez. Poderíamos ter matado o jogo por várias vezes e depois sofremos um golo em cima do minuto 45 que não podíamos ter sofrido, num erro coletivo. Na segunda parte não fomos tão fortes e expusemo-nos ao erro, que o adversário aproveitou bem. Mesmo assim ainda criamos algumas situações e falhamos a grande penalidade. Parabéns ao Vizela que foi mais eficaz e nós estamos tristes com mais esta derrota na nossa casa. Temos de levantar a cabeça e reagir já no próximo jogo”.

 

Ricardo Soares, treinador do vizela

“Tivemos muitas dificuldades”

“Na primeira parte tivemos muitas dificuldades, devido às más condições do piso e ao jogo do adversário, que tem jogadores muito irreverentes, com muita qualidade e que nos criamos muitos problemas sobretudo no primeiro tempo. Fomos para o intervalo com um empate, que penaliza a falta de eficácia do Vila Real. Na segunda parte corrigimos algumas situações, mostramos outra adaptação ao contexto e acabamos por vencer com mérito, apesar do Vila Real ter falhado uma grande penalidade. Era um jogo muito importante para eles, que disputaram cada lance como se fosse o último e isso criou-nos muitas dificuldades, que foram superadas porque vestimos o fato-macaco”.

 

Ficha Técnica

Jogo disputado no Complexo Desportivo do Monte da Forca.

Árbitro: António Castro Santos (A.F. Bragança).

Auxiliares: João Vaz e Diogo Mesquita.

VILA REAL: Miguel, Telmo, Inácio, Fred, Daniel (Eduardo, 87’), Castanha, Aquini, Schuster, Felipe, Bukia e Orlando (Cristiano, 70’).

Suplentes não utilizados: Andrey, Anderson, João e Miguel.

Treinador: Nuno Pereira.

VIZELA: Pedro Albergaria, Diogo Machado, Talocha, Felipe (André Pinto, 88’), Maurício, Luís Ferraz, David Bessa (Ricardo Teixeira, 73’), Rui Pereira, Lamelas (João Pedro, 27’), Fininho, Zé Manel.

Suplentes não utilizados: Tiago Guedes, Diogo Lopes, Marcelo e Vilela.

Treinador: Ricardo Soares.

Ao intervalo: 1-1.

Cartões Amarelos: Zé Manel (43’), Inácio (61’), Talocha (64’), Fininho (73’), Telmo (82’).

Marcadores: Aquini (14’), Luís Ferraz (45’), Fininho (62’).

 

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.