Domingo, 17 de Outubro de 2021

Vila Real, 2 | P. Salgadas, 1

Numa tarde bem agradável para a prática desportiva, o Vila Real regressou ao Monte da Forca e sentiu bastantes dificuldades para levar de vencida a formação do Pedras Salgadas. Já perto do minuto 90, Filipe alcançou o golo que garantiu os três pontos aos alvi-negros.

-PUB-

Os comandados de Abel Ferreira entraram em campo com grande mobilidade ofensiva, tendo criado algumas boas situações para inaugurar o marcador. No entanto, o golo só apareceu num grande pontapé de Bouças, que, a uns bons 35 metros, encheu o pé e a bola só parou no fundo da baliza defendida por Diogo, que nada pôde fazer perante o remate colocado do avançado da casa. Um golo de fazer vibrar qualquer estádio de futebol. A perder, o Pedras reagiu bem e esteve muito perto do empate pouco tempo depois. Nacho falhou na cara de Cabreca, ainda tentou o segundo remate, mas Abreu esteve muito bem a tirar o esférico da zona perigosa. Os forasteiros continuaram à procura da igualdade e o Vila Real deixava muito espaço nas costas da defensiva, que era bem aproveitado pelos extremos para criar perigo para a área local. Aos 19’, Castelo faz tudo bem e oferece o golo a Pires, que rematou com estrondo à barra. Uma grande ocasião para o Pedras fazer o empate, perante a passividade da defesa vila-realense. O Pedras estava melhor no jogo e procurava explorar as fragilidades do adversário. Já o Vila Real parece que adormeceu à sombra do golo de Bouças e baixou bastante o ritmo que impôs nos primeiros dez minutos de jogo. Ainda antes do intervalo, os visitantes vão ter uma nova oportunidade para empatar, mas Pires voltou a falhar na cara de Cabreca, perante e pressão do central Fredy.

Ao intervalo, o resultado tinha um certo sabor a injustiça, já que o Pedras teve várias ocasiões para chegar à igualdade.

Para o segundo tempo, o técnico Rui Fernandes colocou Machado no lugar de Fafe, no sentido de dar maior acutilância ofensiva à sua equipa, no entanto, o Vila Real voltou a entrar melhor no jogo. Aos 51’, Bessa fica em boa posição para alvejar a baliza, mas acaba por ser tocado nas costas por Durval dentro da área, mas o árbitro, João Cabral, assim não entendeu e mandou seguir o lance. Volvidos 7 minutos, Henrique, que entrou para o lugar de Coutinho, rematou forte, mas Diogo, com uma palmada, desviou a bola pela linha de fundo. Aos 60’, o árbitro deu ordem de expulsão ao defesa Durval, por supostas palavras que o jogador do Pedras lhe terá dirigido. Apesar da contrariedade de estar a jogar com menos um elemento em campo, os homens da vila termal vão chegar à igualdade, num lance em que Cabreca foi muito mal batido. Através de um livre, a bola é colocada na área, Cabreca sai mas não segura a bola e Castelo aproveita o brinde e desvia para golo, restabelecendo a igualdade. O Vila Real pretendia os três pontos e voltou a ser mais forte na frente atacante. O Pedras era agora uma equipa mais fechada e ainda vai ficar reduzido a nove elementos por expulsão de Vítor Rodrigues, depois de uma entrada violenta sobre André Azevedo. Aos 89’, os locais vão chegar ao golo da vitória, através de um livre. Castanha coloca a bola na área, Abreu salta mais alto que toda a defensiva forasteiro e remata à barra, a bola ainda fica em Filipe que faz, de cabeça, o golo que garantiu os três pontos aos visitados.

O Vila Real não fez um bom jogo, mas acaba por ser feliz e assim conquista mais uma vitória importante para alcançar a subida de divisão. Já o Pedras Salgadas mostrou um bom nível competitivo, mas pecou na finalização.

No próximo jogo, o Vila Real desloca-se ao campo do Abambres. Por sua vez, o Pedras recebe a visita do Fiolhoso.

 

Abel Ferreira, treinador do Vila Real

“Não fizemos um bom jogo”

O técnico vila-realense afirmou que a vitória foi difícil, num jogo onde a sua equipa dominou, mas não fez uma grande exibição.

“Sabia que não iríamos ter um jogo fácil, pois o Pedras tem uma boa equipa e é bem orientada. Mesmo assim, começamos a pressionar bem o último reduto adversário e fizemos um golo cedo. Dominamos o jogo e o Pedras dificultou ao máximo a nossa tarefa, jogando sempre atrás da linha da bola. Hoje, nem tudo nos correu bem, e o Pedras tentou surpreender-nos em lances rápidos de contra-ataque. Na segunda parte, o nosso adversário não teve praticamente nenhuma ocasião de golo, tirando o lance em que o Cabreca foi mal batido e que o Castelo fez o empate. A partir do golo sofrido e com a expulsão do jogador do Pedras, o Vila Real voltou a jogar em cima do adversário e o golo apareceu numa altura boa para nós. O que importa salientar é que ganhamos bem, apesar de não termos feito um bom jogo”.

Quanto ao trabalho de João Cabral, o técnico alvi-negro sublinha que o árbitro esteve bem. “Sobre a primeira expulsão não posso falar, porque estou longe. Mas, pelo que me apercebi deve ter sido por palavras menos próprias do jogador ao árbitro. Já a segunda expulsão é correcta, uma vez que o jogador do Pedras agride o André Azevedo e é bem expulso”.

 

Rui Fernandes, treinador do Pedras Salgadas

“Ficamos desiludidos com o resultado e com o trabalho do árbitro”

No final do encontro, o técnico visitante ficou triste com o resultado, uma vez que a sua equipa não merecia perder pela forma como se apresentou no relvado.

“Foi um bom jogo de futebol. O Vila Real entrou mais forte, mas depois nós conseguimos equilibrar as operações. Nos primeiros minutos sofremos um golo caricato, já que a bola é desviada ao tocar no árbitro e acaba por entrar na nossa baliza. Na segunda parte, fizemos algumas modificações na equipa para tentar abrir a frente de ataque e conseguimos chegar ao empate, já em inferioridade numérica. Não entendi o motivo pelo qual o árbitro expulsou o nosso jogador. Nesta altura, arriscamos tudo, ficamos só a jogar com três defesas e conseguimos chegar ao golo. Depois, já na parte final do jogo, e quando tentamos guardar a igualdade, sofremos o segundo golo que deitou por terra as nossas aspirações de sair daqui com um resultado positivo. Ficamos desiludidos com o resultado e com o trabalho do árbitro, que foi degradante. Sem tirar mérito ao Vila Real, já tínhamos algumas suspeitas que este árbitro ia actuar desta forma. Mesmo assim, saímos de cabeça erguida, porque demos tudo o que tínhamos para alcançar outro resultado”.

 

Ficha Técnica

 

Jogo disputado no Complexo Desportivo do Monte da Forca.

Árbitro: João Cabral

Auxiliares: Ângelo Borges e Raul Maia

VILA REAL – Cabreca, Bessa, Abreu, Nuno Fredy, Francis (André Azevedo, 76’), Filipe, Schuster, Castanha, Bouças, Coutinho (Henrique, 45’) e Mico (Nunes, 71’).

Suplentes não utilizados: Ivo, Júnior, Tapada e Felícia.

Treinador: Abel Ferreira.

PEDRAS SALGADAS – Diogo, Tiago, Dani, Durval, Luís Jesus, Vítor Rodrigues, Gonçalo, Nacho, Fafe, Pires e Castelo.

Suplentes não utilizados: Luís Daniel, Bruno Carvalho, Jorge e Braulio.

Treinador: Rui Fernandes.

Ao intervalo: 1 – 0

Cartão Amarelo: Bessa (67’).

Cartões Vermelhos: Durval (60’) e Vítor Rodrigues (88’).

Marcadores: Bouças (9’), Castelo (70’) e Filipe (89’).

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.