Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

Vila Real, 2 | Ribeirão, 1

Numa tarde agradável no Monte da Forca, o Vila Real precisava de vencer para se colar ao Ribeirão e acabou por conseguir, ao ganhar por duas bolas a uma e assim alcançar a primeira vitória em casa esta temporada. Mais vale tarde do que nunca. Apesar da vitória, a tarefa dos vila-realenses está muito complicada para a manutenção, assim como o seu adversário, o Ribeirão. São duas equipas semelhantes, com alguns talentos, mas falta sobretudo experiência a esta juventude para alcançar outros resultados.

-PUB-

Como lhe competia, os locais entraram mais fortes, com lançamentos longos para as costas da defesa forasteira, que não teve grandes dificuldades em travar as investidas dos avançados da casa, com Felipe a estar muito desamparado na frente de ataque. A primeira oportunidade saiu da cabeça de Fred, com a bola a sair por cima do travessão, depois do canto cobrado por Bukia. Depois de mais algumas investidas, a melhor ocasião destes primeiros minutos veio do lado direito, com Telmo a fazer um cruzamento remate que bate na quina da baliza, já com o guarda-redes batido, a bola não entra por mera infelicidade. Perto da meia hora, Aquini enche o pé e proporciona uma excelente defesa a Christopher, que desvia pela linha de fundo. Só dava Vila Real, com o Ribeirão a sentir muitas dificuldades em explanar o seu futebol, sempre muito concentrado no setor defensivo e no meio-campo. Já perto do intervalo, grande jogada de Rui, a entrar na área e a cruzar, no entanto ninguém apareceu para dar o toque final. Na resposta, os visitantes poderiam ter inaugurado o marcador, com Riça a falhar o corte, mas Aylton não deu o melhor seguimento ao lance e a bola saiu a rasar o poste. Ao intervalo, o Vila Real merecia mais, pelo domínio que teve, mas faltou-lhe poder de fogo na área.

Na segunda parte, o alvinegros voltaram a entrar melhor e Fred esteve perto de inaugurar o marcador, mas faltou pontaria ao cabeceamento, que saiu por cima da trave. Até que, à passagem do minuto 61, abertura de Rui para Alex, que faz um excelente cruzamento para a pequena área, onde aparece Felipe a encostar para o fundo da baliza. Estava feito o primeiro golo do jogo, que os donos da casa já justificavam. Este resultado não servia os interesses do Ribeirão, que veio para a frente à procura do empate, que Aylton conseguiu fazer aos 72’, num lance em que toda a defesa local tem culpas, já que deixaram o jogador solto ao segundo poste, que teve tempo para dominar a bola e rematar forte para o fundo das redes, sem qualquer hipótese de defesa para Riça. Reação imediata dos transmontanos, com Alex a ser travado à entrada da área por Vitinha, que viu o segundo amarelo e consequente vermelho. Na confusão, Aquini terá agredido um adversário e viu o vermelho direto. Uma infantilidade do jovem avançado brasileiro. Na cobrança do livre, Rui faz um grande golo, com Christophe a ficar pregado no relvado a ver a bola entrar no canto superior esquerdo da sua baliza. Um livre superiormente marcado pelo jovem médio da casa, que se cotou como o melhor elemento em campo.

O Vila Real foi melhor, teve maior domínio e acaba por merecer esta vitória. O Ribeirão veio à procura do empate mas não mostrou capacidade para o segurar.

No próximo domingo, o Vila Real desloca-se ao terreno do Vizela, um jogo que não será nada fácil, uma vez que será frente ao líder desta série. Já o Ribeirão recebe a visita da Oliveirense.

Entretanto Tulipa já foi substituído, por Carlos Cunha, no comando técnico do Ribeirão.

 

Nuno Pinto treinador do Vila Real

 

“Não será fácil, mas vamos a Vizela tentar vencer”

“É uma vitória importantíssima para aumentar os níveis de confiança destes jovens jogadores. Já há muito que mereciam vencer, mas só hoje foi possível, graças ao empenho, rigor e trabalho que demostraram em campo. Houve uma altura do jogo em que perderam um pouco o controlo emocional, quando ficamos em vantagem, que permitiu ao Ribeirão fazer a igualdade. Mesmo assim, voltaram a acreditar na vitória e vieram para a frente à procura do golo, que acabou por acontecer naquele belo remate do Rui. Depois houve aquela infantilidade do Aquini, que foi expulso. Estes jogadores ainda não são profissionais e por isso cometem bastantes erros, que acabam por prejudicar o clube, que está nesta situação complicada. O próximo jogo será muito difícil, mas vamos a Vizela tentar vencer, já que não nos resta outra alternativa. Vamos procurar ganhar mais jogos e esperar os deslizes dos nossos adversários”.

 

Tulipa, treinador do Ribeirão

“Não conseguimos pôr em prática a nossa estratégia”

“Sabíamos que o Vila Real tem dificuldade em lidar com os espaços nas costas e trabalhamos durante a semana essas fragilidades, mas não conseguimos pôr em prática a estratégia que trazíamos definida. Na primeira parte, o adversário teve o controlo do jogo e nós não fomos tão fortes como desejaríamos. No segundo tempo, o jogo foi nivelado e até poderia ter dado num empate, mas também não soubemos aproveitar as situações que criamos e o Vila Real foi mais feliz. Estas duas equipas têm poucos pontos porque são muito jovens, têm jogadores de qualidade, mas há períodos de jogo que pagam a sua inexperiência. Daqui a uns anos, não tenho dúvidas que alguns jogadores do Ribeirão e do Vila Real serão importantes nas ligas profissionais, mas têm de passar por esta fase de crescimento, errar muitas vezes e acertar outras para evoluírem no futuro”.

 

Ficha Técnica

Jogo disputado no Complexo Desportivo do Monte da Forca.

Árbitro: Renato Gonçalves (A.F. Guarda).

Auxiliares: Rui Fernandes e Paul Brás.

VILA REAL: Riça, Telmo, Fred, Hackman, Alex, Inácio (Castanha, 84’), Rui (Schuster, 93’), Christiano, Felipe, Bukia (Orlando, 77’) e Aquini.

Suplentes não utilizados: Miguel, Leandro, Anderson e Miguel Morais.

Treinador: Nuno Pinto.

RIBEIRÃO: Christopher, Bruno Silva, Gil Barros, Varela (Diogo Pires, 71’), Isaiah (James, 68’), Ogana, Mendonça (Onieka, 45’), Vitinha, Buba, Aylton Boa Morte e Ola.

Suplentes não utilizados: João Cruz, Ivo, Brás e Fatri.

Treinador: Tulipa.

Ao intervalo: 0 – 0.

Cartões Amarelos: Buba (37’), Onieka (51’), Isaiah (59’), Vitinha (62’ e 83’), Inácio (75’), Rui (93’).

Cartões Vermelhos: Vitinha (83’, ac.) e Aquini (84’).

Marcadores: Felipe (61’), Aylton (72’) e Rui (84’).

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.