Sábado, 16 de Outubro de 2021

Vila Real sagra-se campeão distrital

Com o apoio de muitos adeptos que se deslocaram ao Monte da Forca, o Vila Real sagrou-se campeão distrital da AFVR, quando ainda faltam cinco jornadas para o final do campeonato. Os golos só apareceram no segundo tempo, com o destaque o «hat-trick» de André Azevedo e para a exibição de Tiago, que veio imprimir outra criatividade à frente de ataque local, sendo preponderante na manobra ofensiva da sua equipa.

-PUB-

Num jogo que se previa de boa qualidade, mas também com alguns nervos à mistura, os alvi-negros tinham pela frente o Montalegre, a única equipa que neste campeonato conseguiu derrotar os vila-realenses. Os donos da casa só precisavam de um ponto para fazer a festa, no entanto entraram em campo motivados e à procura de marcar golos. Logo nos primeiros minutos, Bouças teve nos pés duas boas situações para alvejar com êxito a baliza de Carneiro, mas não conseguiu bater o guarda-redes forasteiro. Pouco a pouco, o Montalegre conseguiu subir um pouco as suas linhas mais recuadas, mas o domínio continuou a pertencer aos anfitriões. Só aos 35’, os visitantes fazem um remate na direcção da baliza, mas Cabreca segurou bem os intentos de Chiquinho. Volvidos 3 minutos, Guilherme rematou forte, mas a bola sai por cima da trave. A resposta foi imediata, no entanto, Schuster e Bouças perderam uma boa ocasião para abrir o activo. Já em cima do intervalo, Diogo coloca à prova os reflexos de Cabreca, num pontapé traiçoeiro.

O nulo ao intervalo espelhava a tarde desinspirada dos homens da frente, onde Bouças esteve em claro destaque.

Veio a segunda metade e vieram os golos para colorir um belo dia de sol. O primeiro foi apontado por Nuno Fredy. Através de um livre, a bola é levantada para a área, a defesa visitante não consegue tirar da zona perigosa e o central Fredy aproveita para rematar colocado e assim abrir o activo. Sem nada a perder, o Montalegre tentou responder, com lances de bola parada, onde Diogo mostrou atributos acima da média. Mas, curiosamente foi num lance de bola corrida que os forasteiros chegam à igualdade, através de Chiquinho, que culminou da melhor forma o trabalho de Ibrahima na área. Apesar do empate chegar para o Vila Real fazer a festa, os pupilos de Abel Ferreira queriam mais. Aos 58’, Tiago entra para o lugar do apagado Bouças e revoluciona completamente o ataque, imprimindo mais velocidade e criatividade. Depois de algumas perdidas incríveis, Tiago “rouba” a bola a Mica e faz um grande golo, numa chapelada com muita classe ao guarda-redes Carneiro, decorria o minuto 71. Três minutos mais tarde, Azevedo aparece isolado em frente a Carneiro, mas permite o desvio do guarda-redes, a bola ficou em Tiago que ofereceu o golo ao mesmo Azevedo, com um passe milimétrico ao qual o jovem avançado correspondeu com desvio de cabeça de Azevedo e a bola no fundo das redes. Com o resultado em 3 – 1, o Montalegre nunca baixou os braços e foi à procura de reduzir. E, através de um livre descaído pela direita, Diogo bate cruzado e a bola entra pela segunda vez na baliza de Cabreca. A vencer pela margem mínima, o Vila Real optou por equilibrar o seu jogo, não caindo na tentação de cometer erros que poderiam estragar o ambiente que pairava sobre as bancadas do Monte da Forca. Desta forma, tentava explorar a velocidade dos seus alas, onde Tiago esteve em grande destaque. Já em tempo de compensação, aos 92’, Azevedo aparece na cara de Carneiro, faz a finta e atira para a baliza deserta, em mais uma assistência primorosa de Tiago. No minuto seguinte, Azevedo fecha em beleza, com um »hat-trick», num bom remate que bate pela quinta vez Carneiro.

Com este triunfo robusto, o Vila Real conquistou mais três pontos e fez a festa de campeão, quando faltam ainda cinco jogos para o final da época. O Montalegre fez aquilo que o Vila Real lhe deixou, mesmo assim, lutou por outro resultado, mas não mostrou argumentos suficientes para sair do Monte da Forca com pontos.

No próximo jogo, o Vila Real tem uma deslocação até Murça, já o Montalegre recebe a visita do Fiolhoso.

 

As reações dos treinadores

 

ABEL FERREIRA, treinador do Vila Real

“Esta é uma vitória de todos. Dedico-a ao meu pai e ao nosso presidente”

No final desta festa, o técnico vila-realense estava emocionado com esta conquista e não quis deixar de dizer umas palavras para as pessoas que o acompanharam neste sucesso desportivo.

“Sinto-me satisfeito, feliz, numa vitória que é de todos: simpatizantes, sócios, jogadores e direcção deste grande clube que é o Vila Real. Atingimos o nível deste Vila Real, que é jogar nos campeonatos nacionais. Durante a época, não deixamos dúvidas na forma categórica como ganhamos os jogos. Hoje, mais uma vez, demonstramos a grande equipa que somos. Ao longo da temporada, estes jogadores mostraram dignidade, humildade, qualidade e são, acima de tudo, uns grandes homens. Quero aproveitar para dedicar esta conquista a duas pessoas: ao meu falecido pai, que foi um adepto incondicional e director deste clube durante muitos anos. Ele merece pelo apoio que sempre me deu e também o apoio que deu ao meu irmão André. O gosto que tenho por este clube, deve-se ao meu pai. Outro pessoa a quem dedico este título é ao nosso presidente, por ter confiado e acreditado em mim. Foi sempre correcto e honesto comigo. Apesar das dificuldades, nunca me disse ‘não’ a nada e cumpriu com o que estava previamente combinado, em prol da equipa. Por isso, mais uma vez, muito obrigado por ter confiado em mim”.

 

Carlos Felisberto, treinador do Montalegre

“Parabéns ao Vila Real”

O técnico visitante regressou a uma casa que conhece bem e endereçou felicitações aos vencedores do campeonato.

“Viemos com a intenção de discutir o jogo, já que ainda tínhamos a ambição de chegar ao segundo lugar do campeonato, já que o primeiro ficou muito distante há algum tempo. Pretendemos dignificar as camisolas que envergamos, tentando ficar na melhor classificação possível. Mostramos sempre uma boa atitude, discutimos o resultado, mas de um momento para o outro houve uma distracção, que não pode acontecer nestes jogos e o resultado foi ficando mais dilatado. A diferença de golos, parece-me um pouco exagerada pelo que fizemos aqui. De qualquer forma, o Vila Real é um justo vencedor deste campeonato. Este título é um prémio para a equipa mais regular deste campeonato e quero deixar uma palavra de apreço a este público fantástico que hoje veio assistir a este jogo e a esta festa. Deveria ser sempre assim o futebol. Parabéns ao Vila Real”.

 

Ficha Técnica

 

Jogo disputado no Complexo Desportivo do Monte da Forca.

Árbitro: Rui Silva

Auxiliares: Bruno Pereira e Nuno Fraguito

VILA REAL – Cabreca, Bessa, Kobe, Fredy, Peixoto, Bessa, Castanha, Mico (Abreu, 80’), Schuster, André Azevedo, Bouças (Tiago, 58’), Filipe (Henrique, 75’).

Suplentes não utilizados: Ivo, Francis, Miguel Ângelo e Tapada.

Treinador: Abel Ferreira.

MONTALEGRE – Carneiro, Guerra, Mica, Jorge Fidalgo, Bruno Madeira, Ibrahima, Diogo (Santos, 77’), M. Fernandes, Chiquinho, Vasques e Guilherme.

Suplentes não utilizados: Nelson e Pedro.

Treinador: Carlos Felisberto.

Ao intervalo: 0 – 0

Cartão Amarelo: Peixoto (61’).

Marcadores: Nuno Fredy (49’), Chiquinho (55’), Tiago (71’), Azevedo (74’, 92’ e 93’), Diogo (77’).

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.