Sexta-feira, 1 de Julho de 2022

Vila-realenses travam líder

Com as serras cobertas de neve à volta da cidade de Vila Real, o muito frio que se fez sentir no relvado não esmoreceu as equipas, que proporcionaram um agradável espectáculo aos poucos adeptos que se deslocaram ao Monte da Forca. Só faltaram os golos para dar outro colorido ao espectáculo e aquecer o ambiente gélido que tem assolado toda a região transmontana.

Num jogo muito disputado e emotivo, com muitas oportunidades de golo, o empate acaba por ser um resultado que se aceita face ao que se passou em campo, mas se o Vila Real vencesse não espantaria ninguém, uma vez que teve sempre o domínio de jogo nos seus pés. Nem parecia que frente-a-frente estava o primeiro classificado (Rebordosa) com um dos últimos da tabela (Vila Real).

Apesar do mau momento que atravessa o emblema alvi-negro, que vinha de quatro derrotas consecutivas, a vontade de vencer e dar a volta a esta maré de maus resultados ficou patente no pesado relvado do Monte da Forca, mas, ou por infortúnio ou por situações normais do futebol, as redes ficaram invioláveis. A partir dos vinte minutos, houve vários lances perigosos junto das áreas. O primeiro sinal de perigo saiu dos pés de Pedro que tem um forte remate que saiu a centímetros do travessão. A resposta dos forasteiros não tardou, Cafú ganha na área e serve Silvério que remata para defesa atenta de Vieira. Aos 21’, excelente ocasião para os vila-realenses inaugurarem o marcador, mas o cabeceamento de Pedro sai a rasar o poste. Perto da meia hora de jogo, também, o adversário esteve perto de marcar, mas Cafú fez o mais difícil ao atirar por cima da trave. De seguida, Vieira vê o remate do veterano Pedro Oliveira bater com estrondo na quina do poste à sua guarda. Já muito perto do intervalo, Nuno Meia tem uma grande oportunidade que Magalhães nega ao cortar com o corpo, aquele que parecia ser o remate certeiro.

Na 2.ª parte, o jogo continuou na mesma toada com emoção e competitividade a toda a largura do terreno. O Vila Real continuou a ter o maior domínio de jogo e mais posse de bola. Já o Rebordosa optava por apostar nos lances rápidos de contra-ataque. Num desses lances rápidos, é Filipe a salvar o golo, já com Vieira batido. Pouco depois, o guarda-redes Vieira vai ter de ser substituído, uma vez que sai lesionado de um lance que disputou com um avançado forasteiro. Para o seu lugar entrou Gamito que mostrou qualidade e negou por duas vezes o golo ao adversário. Anteriormente, já tinha saído de jogo Pedro que se ressentiu de uma lesão. Muitas contrariedades para um plantel que é demasiado curto e que se vê “a braços” com demasiadas lesões. Apesar de tudo, os visitados continuaram a acreditar e foram à procura do golo que lhe garantisse os três pontos. André Lisboa num grande remate proporciona a defesa da tarde a Magalhães. Um minuto volvido, André Lisboa, de novo, em destaque, mas o remate vai bater na trave. Na confusão do lance, os alvi-negros pedem grande penalidade por suposta mão do jogador do Rebordosa dentro da área. O árbitro, perto do lance, manda seguir o jogo. Perto do final do encontro, Cafú ganha em velocidade e atira à trave. Também o Vila Real teve mais uma ocasião para chegar ao golo, mas a defensiva visitante com jogadores muito altos na retaguarda não facilitou e o nulo acabou por se manter.

Num excelente jogo de futebol, com muitas ocasiões, só faltaram os golos para abrilhantar o espectáculo.

A equipa de arbitragem, vinda de Braga, teve alguns lapsos e não esteve bem no capítulo disciplinar, prejudicando a equipa da casa.

 

 

 

Luís Pimentel, treinador do Vila Real

“Nem parecia que o Rebordosa era o primeiro classificado”

 

Luís Pimentel sublinhou que a sua equipa lutou taco-a-taco com o líder para vencer o jogo, mas faltou um pouco de sorte para amealhar os três pontos que tanta falta fazem ao grupo de trabalho.

“Por tudo aquilo que temos vindo a fazer ao longo dos últimos jogos, merecíamos mais que um empate. Mas, a estrelinha da sorte não nos tem acompanhado, até no aspecto das lesões. Hoje, ficámos sem o Pedro e sem o Vieira. Ainda de fora das nossas opções continuam o Miguel, Bessa, Castanha e Zé Monteiro. Não vamos desistir de lutar e isso ficou provado, aqui, perante o líder, onde não fomos inferiores em nada. Mesmo num terreno pesado e difícil, tivemos momentos de excelente futebol, colocamos o Rebordosa sobre uma pressão alta e constante, sem que eles conseguissem sair do seu meio-campo. Mas, na realidade não conseguimos marcar um golo que seria muito importante para vencer num terreno pesado como este. O Rebordosa também é uma grande equipa e não é por acaso que está no topo da tabela. Tenho que estar orgulhoso desta equipa que tudo fez para ganhar. Quem assistiu ao jogo, não parecia que era o Rebordosa era a equipa que está em primeiro lugar”.

No próximo encontro, o Vila Real vai deslocar-se a Torre de Moncorvo, num ‘derby’ transmontano que se espera muito difícil, mas que o técnico promete uma equipa aguerrida e que vai jogar para vencer.

“Estou optimista para o futuro e já no domingo vamos a Moncorvo procurar a vitória, pois temos qualidade para disputar o resultado, apesar de todas as condicionantes que o plantel atravessa neste momento”.

 

 

António Monteiro, treinador do Rebordosa

“O Vila Real deu uma boa réplica”

 

O técnico forasteiro afirmou que a sua equipa perdeu dois pontos, num jogo em que tiveram muitas ocasiões para saírem vencedores. Mas, também sublinhou o bom jogo dos alvi-negros.

“Perdemos dois pontos. Tivemos várias oportunidades para marcar, com três bolas ao poste e outras tantas ocasiões que poderiam ter dado golo. A equipa bateu-se bem, mas o Vila Real também procurou vencer, jogou bem, deu uma boa réplica e o resultado acaba por ser adequado ao que se passou. Nenhuma equipa merecia a derrota. O nosso objectivo primordial passa por ficar nos seis primeiros lugares, como a maioria das equipas. Estamos numa boa posição e vamos continuar mantê-la até ao final”.

 

 

 

FICHA TÉCNICA

 

Jogo disputado no Complexo Desportivo do Monte da Forca

Árbitro: Ricardo Coimbra

Auxiliares: António Ribeiro e Nicolas Oliveira

VILA REAL – Vieira (Gamito, 78’), Filipe, Ernesto, Nuno Fredy, Peixoto, Norberto, Pedro (Caniggia, 55’), Luís Carlos (Leirós, 90’), Moura, Nuno Meia, André Lisboa.

Suplentes não utilizados: Conceição e Fred.

Treinador: Luís Pimentel

REBORDOSA – Hugo Magalhães, Wagner, Fábio, Gustavo, Cafú, Íta, Pedro Oliveira, António Carvalho, Silvério (Cristêlo, 81’), Leal (Joel, 71’), Amaro.

Suplentes não utilizados: Fábio, Cerqueira, Filipe, Rui Pedro, Séninho.

Treinador: António Monteiro

Cartões Amarelos: Luís Carlos (33’), Norberto (68’), Wagner (69’) e António Carvalho (91’).

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.