Domingo, 24 de Outubro de 2021

Viveram-se momentos dramáticos no Lar nossa Senhora das Dores

Cenário dramático aquele que se viveu nos últimos dias no Lar Nossa das Dores, em Vila Real, depois de terem sido infetados 13 utentes e sete funcionários com a Covid-19.

-PUB-

Na terça-feira, à noite, algumas das funcionárias da instituição vieram à janela gritar por ajuda, não por elas, mas pelos utentes que ali se encontram. “Ajudem-nos. Queremos fazer os testes”, suplicaram à janela. Uma delas referiu que está no lar “já há sete dias”.

O alerta surgiu numa altura em que o presidente da câmara, Rui Santos, falava à comunicação social sobre os pedidos que tinha solicitado junto da tutela para resolver esta “situação dramática”.

Segundo o autarca, nem todas as funcionárias conseguiram fazer o teste, só aquelas que apresentavam sintomas, no entanto, as funcionárias mostram-se dispostas a pagá-lo do próprio bolso. “Se for preciso pagamos os testes. Eu quero saber se estou bem, mas também quero saber dos idosos”, gritou uma das funcionárias à janela.  
Rui Santos garantiu estar a fazer “tudo o que é possível” para resolver o problema.

O primeiro caso positivo da Covid-19 foi detetado no domingo, num doente oncológico.

LAR EVACUADO 

A Unidade de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Marão e Douro Norte determinou o isolamento de todos os casos positivos detetados neste lar, além de um isolamento profilático dos restantes 59 utentes e 50 profissionais.

Após os alertas, os 13 utentes infetados acabaram por ser transferidos para o hospital militar do Porto.

Já os restantes, cerca de 60 utentes, vão realizar testes e só depois será decido o seu destino. Quanto aos funcionários vão para casa, de quarentena. O processo de evacuação foi operacionalizado ainda durante a noite de terça-feira e a transferência dos utentes aconteceu na manhã de ontem. 

O edifico será agora desinfetado e poderá reabrir dentro de alguns dias. 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.