Segunda-feira, 15 de Agosto de 2022

Vizela, 1 | Vila Real, 1

O Vila Real foi até casa do líder à procura de uma vitória, mas a tarefa não se avizinhava nada fácil, face ao poderio do adversário. Apesar do Vizela liderar esta série, os transmontanos esforçaram-se para não saírem derrotados e conseguiram trazer um ponto na sua bagagem, o que acaba por ser um prémio justo para os pupilos de Nuno Pinto

-PUB-

Como lhe competia, os locais entraram muito fortes e cedo criaram perigo para a baliza vila-realense. Logo aos 5’, Riça evita o primeiro, já que saiu aos pés de Talocha e desviou o remate pela linha de fundo. No minuto seguinte foi o poste que salvou o Vila Real, com o remate forte de Felipe a bater com estrondo no ferro. Aos poucos, os forasteiros começaram a equilibrar o jogo e a sacudir a pressão, até o central Hackman tentou a sua sorte, mas o remate foi à figura de Tiago Guedes. Nesta altura, o jogo estava centrado no meio-campo, com poucas linhas de passe abertas nas alas, o que facilitava a tarefa dos defesas. Só depois da meia hora de jogo houve perigo, desta vez foi Rui a recuperar a bola numa transição para o ataque, a colocar em Cristiano, que entra na área e remata forte, mas às malhas laterais.

Ao intervalo, o resultado espelhava a falta de eficácia dos donos da casa, que criaram duas grandes ocasiões e depois desapareceram do jogo.

Na segunda parte, os alvinegros entraram a toda a velocidade, com o objetivo de surpreender o adversário. Fruto dessa irreverência, aos 50’, Bukia é travado em falta dentro da grande área por Vilela, com o árbitro a não ter qualquer dúvida e apontar para a marca de grande penalidade. Chamado à conversão, Rui esteve irrepreensível, ao atirar a bola para um lado e o guarda-redes a cair para o outro. Estava feito o primeiro golo da tarde em Vizela. A perder, os azuis assumiram as despesas do jogo e vieram para cima dos vila-realenses. Aos 57’, Telmo tira o pão da boca a Ricardo Teixeira, que se preparava para marcar. Um minuto depois, o avançado vai mesmo marcar, numa jogada muito rápida pela esquerda, com Felipe a cruzar e Ricardo, no coração da área, a bater sem contemplações Riça, que nada poderia fazer perante a potência do remate. Pouco depois, Felipe falha escandalosamente o segundo, já que aparece sozinho ao segundo poste e não consegue acertar na bola, já com Riça batido. Na resposta, Bukia tentou surpreender Tiago, que segurou bem o remate do médio criativo. Já perto do final, os forasteiros poderiam ter chegado à vantagem, mas o remate forte de Cristiano saiu por cima da trave.

O empate até pode ser considerado positivo, face ao poderio do líder, no entanto, os alvinegros precisam de pontos para tentar sair da posição complicada em que se encontram. Apesar de ter feito algumas alterações no seu xadrez habitual, o Vizela fez um jogo sério e em nada facilitou a tarefa dos transmontanos.

No próximo sábado, o Vila Real recebe no Monte da Forca o Felgueiras e terá de vencer para continuar a sonhar. Já o Vizela vai ao reduto da AD Oliveirense.

 

Nuno Pinto treinador do Vila Real

 

“Falta-nos tempo para crescermos mais um pouco”

“Contra uma equipa com estes argumentos e poderio ofensivo é sempre muito difícil não sofrer golos. Demos o nosso melhor e no global a equipa esteve muito bem. Estou de consciência tranquila porque os jogadores deram tudo o que tinham e talvez mais um bocadinho, no entanto, o adversário é muito forte e isso ficou patente em campo. Tivemos momentos muito complicados no jogo, mas lutamos por este resultado, que não é o que mais me satisfaz, no entanto, atendendo às circunstâncias, foi o possível. Fizemos um bom jogo, não conseguimos somar os três pontos, que era o nosso objetivo, mas também não perdemos tudo. É fundamental esta dinâmica da equipa, de alcançar resultados positivos, para dar passos em frente. Pena é que isto está a acabar e falta-nos tempo para crescermos mais um bocadinho. Nota-se que os níveis de concentração estão mais elevados, assim como a organização da equipa, mas vamos continuar a trabalhar para colmatar alguns erros que ainda prejudicam a equipa. A luta continua”.

 

Ricardo Soares treinador do Vizela

“O Vila Real tem qualidade para se manter”

“Entramos muito bem no jogo, criamos duas boas situações e poderíamos ter resolvido aí o jogo. O Vila Real necessita de pontos, mas a verdade é que nós não ganhamos porque falhamos inúmeras ocasiões. A minha equipa foi muito séria, reagiu rapidamente à desvantagem e poderia ter marcado novamente no minuto seguinte, mas falhamos uma oportunidade de baliza aberta, depois ainda há o remate de Fininho ao poste. Na reta final, o Vila Real teve apenas uma situação de perigo, que lhe poderia ter dado os três pontos. Fiz algumas alterações e estou satisfeito com o rendimento de todo o plantel. Hoje até houve jogadores que superaram as minhas expectativas, fizeram um excelente jogo assim como toda a equipa do Vizela, faltou apenas a vitória. Pelo jogo, nós fomos melhores, mas pelo que o Vila Real trabalhou também mereceu o empate. Acho que não deveria descer, pois tem qualidade mais que suficiente para se manter, com excelentes jogadores jovens que irão acabar no profissionalismo porque tem muita qualidade”.

 

Ficha Técnica

Jogo disputado no Estádio Municipal de Vizela.

Árbitro: Bruno Nunes (A.F. Viana do Castelo).

Auxiliares: João Loureiro Dias e João Cunha.

VIZELA: Tiago Guedes, Diogo Machado, Talocha, Felipe (David Bessa, 79’), Ricardo Teixeira (Maurício, 79’), Diogo Lamelas, André Pinto, Zé Manuel, Vilela (David Bessa, 79’) e João Pedro.

Suplentes não utilizados: Pedro Albergaria, Diogo Lopes e Fininho.

Treinador: Ricardo Soares.

VILA REAL: Riça, Telmo, Fred, Hackman, Alex, Inácio, Rui Magalhães (Schuster, 70’), Cristiano, Felipe Martins, Bukia e Orlando.

Suplentes não utilizados: Miguel, Leandro, Segoli, Castanha e Miguel Morais.

Treinador: Nuno Pinto.

Ao intervalo: 0 – 0.

Cartões Amarelos: João Pedro (30’), Luís Ferraz (80’), Felipe Martins (90’).

Marcadores: Rui Magalhães (51’) e Ricardo Teixeira (58’).

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.