Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

300 mil euros para 14 dias de espetáculos em Mirandela

De 25 de julho a 7 de agosto, a cidade de Mirandela voltará a celebrar as Festas da Cidade. O programa inclui mais de 50 espetáculos e culmina com a tradicional "Noite dos Bombos"

-PUB-

Depois de dois anos de paragem forçada devido à pandemia provocada pela Covid-19, as Festas da Cidade e em honra de Nossa Senhora do Amparo estão de regresso à cidade de Mirandela de 25 de julho a 7 de agosto.

Ao longo de 14 dias, haverá mais de cinco dezenas de espetáculos, num programa recheado que culminará com a tradicional “Noite dos Bombos” e, de acordo com a autarquia, “uma das maiores exibições de pirotecnia do país”.

O investimento ronda os 300 mil euros, valor que, para o município mirandelense, tendo em conta que as festividades “levam à cidade do Tua milhares de pessoas”, se traduz “num excelente motor económico local e promotor do turismo da região”.

“PRATA DA CASA”

Segundo avançou a autarquia que, em conjunto com a Confraria de Nossa Senhora do Amparo, está responsável pela organização das “celebrações mais icónicas da cidade de Mirandela”, o programa integra vários artistas locais.

“Destaque para o concerto de abertura das festividades que conta com a orquestra da Escola Profissional de Arte de Mirandela – ESPROARTE – e as jovens cantoras Gabriela Lemos (Ídolos 2022 – SIC) e Maria Sanhudo”.

A primeira sexta-feira do mês de agosto (5) será “a noite mais longa do ano”, na qual “o coração da cidade” se irá transformar “num palco único de folia, memorável para todas as idades”.

A par disto, em comunicado, a autarquia liderada por Júlia Rodrigues revelou, ainda, que, no dia 6 de agosto, o fogo de artifício durará “cerca de 40 minutos”, sendo que “o espelho de água, abraçado pelas margens do rio, torna-se o local ideal para assistir a um dos maiores espetáculos piromusicais do país”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.