Terça-feira, 7 de Dezembro de 2021

857 euros é o salário médio dos trabalhadores por conta de outrem

Concelho perdeu 1326 residentes e 1204 estudantes, sobretudo devido ao encerramento de duas escolas de ensino superior

-PUB-

O salário médio de um trabalhador por conta de outrem no concelho de Macedo de Cavaleiros cifra-se nos 857 euros, menos 310 euros do que a média nacional, segundo os dados que foram divulgados pela Pordata no feriado municipal (29 de junho).

Tal como em outros concelhos do interior, Macedo de Cavaleiros também perdeu população. Entre 2010 e 2018, foram registados menos 1326 residentes, pois eram 15.923 residentes, oito ano depois eram 14.597. Em função destes números, a população em idade ativa diminuiu de 60,7% para 59,3%. 

A população estrangeira mantém-se praticamente a mesma, ou seja, são 136 (-1 do que em 2010) pessoas de fora do país a viver neste município transmontano. 

Um dado preocupante é o facto de haver 349 idosos por cada 100 jovens, mais 192 idosos do que a média nacional.

Outros dados revelam que por cada 100 residentes, há nove jovens com menos de 15 anos, 59 adultos e 33 idosos com 65 ou mais anos. Nasceram ainda 73 bebés e morreram 222 pessoas.

Ao nível do ensino, o paronama ainda é mais dramático, uma vez  que o concelho perdeu 1204 alunos nos diferentes graus de ensino, mas com especial incidência no ensino superior, onde encerraram duas escolas de ensino privado (Piaget). 

Em 2018 estavam matriculados 1.815 alunos matriculados nos ensinos pré-escolar, básico e secundário, o que nos indica que o concelho perdeu 1204 alunos em oito anos, uma vez que em 2010 eram 3019 alunos matriculados em todos os graus de ensino. 

MAIS EMPRESAS E MAIS EMPREGO 

Apesar dos dados da demografia não serem animadores, há indicadores positivos, como o crescimento de empresas não financeiras. Se em 2010 eram 1601, passaram a ser 3156 em 2018. Já o número de funcionários também aumentou, de 2826 para 4579, são mais de 1700 pessoas ao serviço das empresas.

Um dado curioso está no facto de

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.