Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

A24 é a autoestrada mais importante para as empresas da região

Quer pelo número de utilizadores, quer pelo número de passagens diárias, quer ainda pelos destinos apontados como principais, a A24 assume-se como a via mais importante para os empresários. A maioria dos inquiridos pela Nervir acredita assim que, entre as duas autoestradas existentes em Trás-os-Montes, pelo menos aquela deveria ser isenta de portagens.

-PUB-

“A A24 assume- -se como a via mais importante a nível empresarial para a região”, concluiu um estudo que, desenvolvido pela Nervir – Associação Empresarial de Vila Real, questionou dezenas de empresários sobre o papel das autoestradas nos seus negócios.

O inquérito foi lançado “contendo cinco perguntas que permitissem, por um lado, quantificar a utilização de cada uma das vias e, por outro, perceber quais os principais destinos comerciais dentro da região e qual das duas vias assumia maior relevância dentro do tecido empresarial”, explicou a associação em comunicado.

O barómetro comprovou que “as duas vias de comunicação são fundamentais para o fluxo comercial das empresas instaladas na região”, uma vez que “quer a A4 quer a A24 apresentam taxas de utilização elevadas, com 76 por cento (A4 eixo Vila Real – Bragança) e 87 por cento (A24) das empresas a utilizarem estas vias pelo menos uma vez por semana”.

O estudo revelou que “no caso da A24, 55 por cento das empresas utilizam esta via de comunicação semanalmente, 17 por cento fazem-no entre seis a dez vezes, seis por cento realiza entre 11 a 25 passagens e oito por cento das empresas faz uma utilização assídua, o que corresponde a mais de 25 passagens por semana”.

No caso da infraestrutura rodoviária que liga as duas capitais de distrito, “50 por cento das empresas faz pelo menos uma passagem neste troço, enquanto 14 por cento afirmam utilizá-la semanalmente (entre uma a cinco passagens por semana)”. “As restantes 27 por cento das empresas distribuem-se da seguinte forma: 14 por cento afirmam utilizar esta via entre seis a dez vezes por semana, dez por cento entre 11 a 25 vezes, e apenas três por cento a utiliza de uma forma intensiva com mais de 25 passagens por semana”, revelou o barómetro.

O estudo questionou ainda quais os principais destinos das viagens realizadas no âmbito empresarial e o resultado mostrou que “Vila Real assume-se como o centro nevrálgico, sendo apontada como destino de 23 por cento destas viagens”. Peso da Régua (13 por cento), Chaves (12 por cento), Bragança (11 por cento), Lamego e Mirandela (ambas com nove por cento), foram os outros destinos mais apontados.

“Quando confrontados com a questão de qual seria a via mais importante para os seus negócios, 55 por cento das empresas indicaram a A24 como a via com maior relevância sendo que esse valor sobe para os 57 por cento quando se pergunta qual a via que devia ser isenta permanentemente de portagens”, concluiu a Nervir.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.