Sábado, 16 de Outubro de 2021

Ações de patrulhamento fazem descer criminalidade em Bragança

As 56 mil ações de patrulhamento efetuadas pelos militares do Comando Territorial de Bragança da GNR levaram a uma redução da criminalidade neste distrito, disse ontem o comandante desta força de segurança.

-PUB-

"Com as ações de patrulhamento que efetuámos conseguimos que a criminalidade diminuísse”, disse o coronel Carlos Felizardo, exemplificando que, “em 2019, com números fechados”, registou-se “uma diminuição da criminalidade grave face a 2018, onde foram registados 34 casos”.

“Em 2019 foram registados menos nove destes casos, ou seja 25", precisou.

Os números foram dados a conhecer no decurso das cerimónias do 101.º aniversário do Comando Territorial de Bragança da GNR, que ontem decorreram em Miranda do Douro e que contaram com a presença do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Carlos Felizardo referiu que uma das preocupações é o patrulhamento de proximidade junto da população mais idosa, para que este grupo social não se sinta sozinho num território de baixa densidade populacional.

O coronel destacou a entrada em funcionamento da nova sala de operações do comando que está dotada de novas tecnologias que permitem uma melhor gestão dos efetivos e meios operacionais.

"Quando se fala em falta de efetivos, através deste novo equipamento conseguimos direcionar o patrulhamento e analisar o que está a acontecer no distrito, em tempo real", indicou.

Através dos novos equipamentos tecnológicos, todas as ocorrências estão a ser monitorizadas.

"Quando alguém liga para um posto do GNR a chamada é registada e a ocorrência fica monitorizada", concretizou.

Esta nova sala de operações resulta de um investimento de cerca de 80 mil euros.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.