Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021

Aluno da UTAD perde a vida em acidente

Na madrugada de ontem, um estudante da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, perdeu a vida num acidente rodoviário, ocorrido na EM 313, próximo do cruzamento para Bujões, freguesia de Abaças. A vítima, Jorge Miguel dos Santos Correia, de 26 anos, dirigia-se sozinho para casa dos pais em Canelas do Douro, Régua, após ter estado nos festejos da Semana do Caloiro da UTAD, que decorreu em Vila Real.

-PUB-

O comandante dos Bombeiros de Peso da Régua, António Fonseca, referiu que quando chegaram ao local, por 8h20, a vítima ainda estava viva no interior da viatura, mas depois de ter sido desencarcerada acabaria por falecer no local, apesar dos esforços de reanimação da equipa médica do INEM.

A hora certa do acidente não foi apurada, pois não houve testemunhas, mas segundo António Fonseca o despiste ter-se-á dado por volta das 4h00, pelo facto do motor do carro estar já muito frio quando chegaram ao local do sinistro. A viatura despistou-se e acabou por embater lateralmente com violência num pinheiro, seguindo–se o capotamento.

Há poucos meses, Jorge Correia, solteiro, tinha estado a cumprir serviço militar numa unidade do exército em Lisboa. Agora, estava a frequentar pela primeira vez o curso de Economia na UTAD, onde era aluno do 1ª ano. Deixa pais, três irmãos e duas irmãs. A vítima era uma pessoa muito conhecida e estimada em Canelas do Douro, conforme nos disse o presidente da Junta de Freguesia de Canelas do Douro, Paulo Joaquim. “Era uma pessoa humilde, amiga de todos e é uma perda irreparável para todos. Estamos de luto e cheios de dor”.

De referir ainda que, a viatura da vítima só foi referenciada por volta das 7h45, por um condutor que passou no local e alertou os bombeiros. O corpo foi transportado para a morgue do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.