Quinta-feira, 21 de Outubro de 2021

Associação contorna a crise e incrementa plano de actividades

Numa altura em que muitos baixam a cabeça perante a crise, outros trabalham afincadamente para contornar as dificuldades. Exemplo disso é a Associação de Ginástica de Vila Real que, apesar de sofrer com os cortes de orçamento e a redução de apoios, nos últimos dois anos quadruplicou o seu número de atletas filiados e aumentou exponencialmente o seu plano de actividades. Para responder às necessidades, a associação pede agora o apoio dos vila-realenses.

-PUB-

A Associação de Ginástica de Vila Real (AGVR) está a levar a cabo um plano de angariação de fundos que tem já em curso uma campanha de venda de rifas, cujo lucro vai reverter para apoiar financeiramente os seus clubes associados e oferecer à região uma gala de ginástica “ao mais alto nível”.

Por apenas um euro, a população da região pode agora apoiar uma modalidade que nos últimos dois anos cresceu no distrito e na região, graças ao desenvolvimento de um plano de actividades “ambicioso” da associação vila-realense. “Tivemos dois anos ímpares. Em 2010 conseguimos desenvolver ainda mais actividades que no ano passado e tivemos o maior número de praticantes em prova relativamente a todo o histórico da modalidade de trampolins no distrito”, explicou Pedro Bastos, presidente da direcção da AGVR.

A jovem direcção, composta ainda por Cláudia Pereira e Florinda Oliveira e apoiada por Hugo Laranjeira na direcção técnica, confrontou-se desde logo com o corte dos apoios provenientes da Federação Portuguesa de Ginástica e da Federação Portuguesa de Trampolim e Desportos Acrobáticos, antes o seu principal meio de subsistência.

Apesar da crise, obviamente sentida também nos cofres da associação, houve um “grande esforço na captação de mais clubes na região”, tendo passado o seu caderno de associados de dois para cinco clubes, e quadruplicado o número de praticantes.

Para 2011, a Associação tem um plano de actividades ainda mais ambicioso, prevendo-se não só um conjunto de actividades de carácter competitivo, integrado no calendário desportivo nacional, mas também várias actividades que têm como objectivo a divulgação da modalidade e o fomento do desporto para todos.

“Mesmo com poucos recursos, e não recebendo a dotação das Federações, temos conseguido arranjar outras formas de fazer um bom trabalho. Não podemos parar e ficar à espera que as federações recuperem a sua capacidade financeira. Poderia ser tarde demais para a AGVR”, explicou o dirigente associativo.

O primeiro passo do plano de angariação de fundos é a venda de rifas que, para além de proporcionar a possibilidade de ganhar duzentos euros em combustível (apoio Petroeuropa), um fim-de- -semana no Algarve (apoio Realvitur) ou um vale de cem euros em equipamentos desportivos (apoio Casa Vigia), permitirá que a AGVR presenteei a população com uma gala de ginástica (com data ainda a confirmar) onde participarão atletas da selecção nacional de trampolins e onde será possível testemunhar “a espectacularidade da modalidade”.

O próximo passo na campanha será a angariação de sócios honorários que poderão contribuir mais activamente na sustentabilidade financeira da associação, que hoje conta já com 130 atletas inscritos provenientes de clubes de Vila Real e Viseu.

Pedro Bastos lembrou que dentro da especificidade que são os trampolis, “existe uma disciplina, sem carácter competitivo, que se chama ginástica para todos, e tem como objectivo promover a prática desportiva no quotidiano de pessoas “dos 0 aos 99 anos”. “Obviamente que também nos interessa encontrar clubes onde possamos provocar o intuito da competição e ver surgir, como no ano passado, uma campeã nacional de Vila Real”, frisou.

Para além do plano de actividades inserido no calendário nacional da modalidade, e de um conjunto de acções paralelas que visam divulgar a modalidade, em 2011 a AGVR vai ainda incrementar a sua presença no mundo virtual, melhorando a sua página Web e marcando presença nas várias redes sociais on-line.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.