Sexta-feira, 17 de Setembro de 2021
© DR

Associação juvenil desenvolve “milícias de intervenção ambiental”

Através do empenho dos seus voluntários, a associação flaviense Inspira! recolheu mais de uma tonelada de lixo das florestas da Granjinha, no concelho de Chaves. Os jovens encontram-se, de momento, a combater as espécies invasoras da área do Parque do Rebentão

-PUB-

Segundo a associação, “depois de duas semanas a intervir em zonas florestais um pouco por toda a região, focámos todos os esforços nas florestas da Granjinha, uma das zonas mais poluídas da cidade, e que muitos dos nossos conterrâneos continuam a escolher como local para ir deixar aquilo que têm a mais lá em casa”.

A Inspira!, associação juvenil sem fins lucrativos e de carácter interventivo, tem como principais bandeiras a educação ambiental e o empoderamento dos jovens, a par do desenvolvimento social e ecológico da região flaviense. Com um grupo de voluntários das mais diversas idades, tem ocupado “as tardes de verão” a intervir no território.

Os jovens, “empenhados em resolver os problemas ambientais da sua cidade”, passaram vários dias “estrada acima, floresta abaixo, a percorrer o labirinto de caminhos de terra que constituem aquela zona [da Granjinha]. De uma área de parcos hectares, tirou-se mais de uma tonelada de lixo”.

Encontraram, por ali, de tudo um pouco. No fim, garantem, “não ficou um beco por patrulhar, um eletrodoméstico por rebocar, um pedaço de mobília descartada por desenterrar, um pneu por rebolar encosta abaixo rumo a um novo fim, um delito de outros por remediar”, destaca a associação.

Os jovens encontram-se, agora, “a combater as acácias, espécies invasoras, no Parque do Rebentão”, como são exemplo a ‘Mimosa’ (Acacia dealbata) e a ‘Austrália’ (Acacia melanoxylon), intervenção que tem avançado a meio gás devido “às condições meteorológicas incertas”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.