Sábado, 16 de Outubro de 2021

Autarquia oferece tablets e internet a alunos carenciados

A câmara municipal de Mesão Frio anunciou hoje que vai disponibilizar ‘tablets’ com teclado e internet a 60 alunos do concelho para que possam acompanhar o ensino à distância no terceiro período escolar.

-PUB-

O presidente da autarquia, Alberto Pereira, disse à agência Lusa que foi alertado pela direção do Agrupamento de Escolas Professor António da Natividade para a dificuldade de implementar o ensino à distância porque 60 alunos, do 1.º ao 9.º de escolaridade, não tinham as ferramentas disponíveis.

Por causa da covid-19, o terceiro período para os alunos do 1.º ao 10.º ano vai decorrer em regime de ensino à distância e com o recurso à telescola, que começa a ser emitida na RTP Memória a partir de segunda-feira.

“Vamos adquirir 60 ‘tablets’ com teclado e vamos fazer um contrato com uma empresa de telecomunicações, a um preço bastante assertivo, de forma a que esses alunos não fiquem para trás e tenham Internet em casa e uma ferramenta de trabalho”, afirmou o presidente.

As maiores dificuldades no acesso à internet são sentidas pelos estudantes das aldeias mais distantes e isoladas. Em alguns casos são famílias com dificuldades económicas. 

Este é, segundo Alberto Pereira, um reforço do apoio que o município já está a dar aos alunos do concelho. O autarca disse ainda que os colegas do executivo aprovaram por unanimidade a medida.

Alberto Pereira referiu que o concelho não regista, até hoje, casos positivos de covid-19 e salientou que o município está a implementar um conjunto de medidas para enfrentar a pandemia.

O autarca já tinha disponibilizado o carro da presidência para o transporte de doentes oncológicos para as unidades hospitalares e, agora, também está a ser usado para fazer a entrega de medicamentos ao domicílio que vai buscar ao Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD). “Já há um mês que deixei de andar no carro”, apontou.

Para as famílias mais carenciadas e outras que perderam rendimentos nesta fase de pandemia foram entregues cerca de “50 cabazes” com bens alimentares.

Para evitar que os mais idosos e fragilizados saiam de casa, os presidentes das juntas de freguesia organizam a entrega de bens de primeira necessidade nas respetivas casas.

Neste concelho do distrito de Vila Real a principal atividade económica está ligada à vitivinicultura, onde o trabalho se mantém, embora com alguns constrangimentos. Alberto Pereira referiu que o maior impacto da pandemia se está a sentir no comércio local no centro da vila.

O autarca disse ainda que, para ajudar, o município isentou o pagamento de renda nos meses de abril e de maio, para os arrendatários do mercado municipal, acrescentando que os inquilinos do bairro social também estão, neste período, isentos de pagar a renda.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.