Quarta-feira, 4 de Agosto de 2021

Bienal de Gravura do Douro percorre região com 1300 obras

Já arrancou a 10.ª edição da Bienal Internacional de Gravura do Douro, que este ano vai espalhar 1300 obras por 10 localidades da região.

-PUB-

A bienal, que termina a 31 de agosto, decidiu homenagear Silvestre Pestana, com uma exposição no Museu do Côa, no ano em que este museu também comemora 10 anos.

Silvestre Pestana nasceu em 1949 no Funchal (Madeira) e é uma das figuras mais radicais da arte contemporânea portuguesa. Poeta, artista visual e performer, o artista criou desde finais dos anos 1960, através de uma grande diversidade de meios, uma prática artística irredutivelmente singular. 

O evento contempla 16 exposições, conferências e oficinas, e conta ainda com a participação de 625 artistas oriundos de 64 países. 

Nuno Canelas, natural de Alijó, criou a Bienal Internacional de Gravura do Douro, em 2001, sendo a única bienal de obra gráfica do país

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.