Quinta-feira, 29 de Julho de 2021

Bispo de Vila Real dá indicações para os próximos tempos

O bispo de Vila Real, D. António Augusto Azevedo, enviou uma nota onde informa os diocesanos de algumas iniciativas e orientações previstas para o “período até ao final de maio, ou seja, durante o tempo pascal”.

-PUB-

Devido à pandemia do Covid-19, o bispo de Vila Real enaltece “o modo como foram cumpridas as orientações anteriormente dadas” e apela “a que continuem a ser respeitadas as normas sanitárias e as recomendações diocesanas em vigor durante esta situação de pandemia”.

Durante o tempo pascal, ou seja, até ao Pentecostes (31 de maio), continua a ser celebrada a eucaristia dominical na Sé de Vila Real, às 11h00, presidida por D. António Azevedo transmitida para a diocese pela internet e rádio (Voz do Marão e Chaves FM).

Os secretariados diocesanos continuam a preparar materiais de apoio para serem utilizados pelas famílias e para cada semana estão previstos: uma oração para fazer antes da refeição; uma catequese em família; uma preparação da liturgia do domingo (lectio divina).

Estes materiais serão disponibilizados no site da diocese e partilhados às sextas-feiras.

Às terças-feiras, às 21h00, reza-se a oração do terço, transmitido a partir dos vários santuários marianos da diocese.

Relativamente à catequese, o bispo aconselha a utilização dos recursos online do Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC), considerando ainda que em cada paróquia deverá ser estudada a melhor forma de acompanhar a catequese das crianças e dos adolescentes, ainda em contexto não presencial. 

O Dia da Diocese, previsto para o dia 7 de junho em Mesão Frio, “fica suspenso, uma vez que não estão garantidas as condições para a sua preparação e para uma massiva participação das pessoas”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.