Segunda-feira, 2 de Agosto de 2021

Bispo diz esperar “em tempo de vésperas” para retomar as celebrações comunitárias

D. José Cordeiro une-se aos diocesanos dizendo esperar “em tempo de vésperas” para recomeçar, em breve, as celebrações comunitárias por toda a diocese e deixa algumas indicações para “recomeçar juntos”.

-PUB-

“Esperamos em tempo de vésperas, preparando-nos para recomeçar juntos, brevemente, a celebrar a Liturgia na comunidade”, divulgou o site diocesano.

O bispo de Bragança-Miranda escreveu a nota “Recomeçar juntos | Não podemos viver sem o Domingo na comunidade” depois de anunciadas as orientações da Conferência Episcopal Portuguesa para este tempo de culto público em tempo de pandemia.

“A liturgia comunitária, especialmente no Domingo, o dia do Senhor, compromete e estimula os cristãos ao amor dos irmãos na caridade. A celebração da Eucaristia é o cume, a fonte e o centro da nossa vida cristã”, escreveu.

O prelado acrescentou ainda que o “distanciamento físico não se pode nunca tornar um distanciamento social e, pior ainda, um distanciamento espiritual”.

Concretamente para a diocese de Bragança-Miranda D. José Cordeiro deixou também algumas medidas, sendo que a “segurança sanitária”, por exemplo, “não haverá problema em garantir, dado o reduzido número de fiéis na assembleia, em razão da nossa realidade demográfica”. 

Já nas Unidades Pastorais com “cidades, vilas e aldeias maiores” o prelado aponta que, com a sua aprovação, possam ser “celebrações campais, eventualmente no adro da igreja, salvaguardando-se a sua dignidade e o respeito pelas normas civis e sanitárias”. 

D. José Cordeiro pede a “valorização da Igreja Catedral”, na cidade de Bragança, “que tem espaço (capacidade total de 2500 pessoas sentadas) para garantir as medidas sanitárias do distanciamento físico dos fiéis para o bem maior da saúde pública”.

Quanto a “peregrinações e outras atividades pastorais em grupos grandes permanecem suspensas até aviso em contrário” bem como “as festas”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.