Domingo, 14 de Agosto de 2022

Bombeiros em Pedras Salgadas para atuar mais rápido nos incêndios e apoio a turistas

Os bombeiros de Vila Pouca de Aguiar vão colocar duas equipas diariamente na vila de Pedras Salgadas para uma intervenção mais rápida nos incêndios florestais na zona norte do concelho e para apoio à população e turistas.

-PUB-

São sete bombeiros que estarão a partir desta semana e em permanência, no período diurno, até 15 de outubro na vila termal e turística de Pedras Salgadas, apoiados por um veículo de combate a incêndios e uma ambulância.

Com estas duas equipas, uma de combate a incêndios (cinco elementos) e outra de ambulância (dois elementos), pretende-se, segundo disse à agência Lusa o comandante da corporação, Hugo Silva, uma “intervenção mais rápida” durante esta época de maior risco de incêndios e de maior afluência de turistas a este território.

Com uma área de intervenção de 440 quilómetros quadrados, a corporação está sediada em Vila Pouca de Aguiar, serve duas vilas turísticas e tem a seu cargo uma zona de floresta, com uma grande mancha de pinheiro-bravo.

Hugo Silva explicou que a corporação fez um levantamento da sua atividade e concluiu que elas se repartam de forma praticamente igualitária entre as zonas norte e sul deste município do distrito de Vila Real.

Na zona norte têm-se verificado vários focos de incêndio e Pedras Salgadas passa a ser, segundo o responsável, um “ponto estratégico para intervenção naquela área”.

Atravessado pela Estrada Nacional 2 (EN2), o concelho é também ponto de passagem de muitos turistas que percorrem a via que atravessa o país, desde Chaves a Faro, de moto, carro ou autocaravanas.

“Dado o reforço de meios humanos que nós temos disponíveis agora no verão, optamos por experimentar, este ano, uma estratégia diferente, ou seja, a colocação nas Pedras Salgadas de uma equipa de intervenção a incêndios e uma ambulância de socorro”, afirmou o comandante.

Vila Pouca de Aguiar e Pedras Salgadas distam oito quilómetros. “Mas são sempre à volta de três, quatro minutos de deslocação que, numa situação grave de incêndio ou de emergência, faz toda a diferença”, apontou.

Para já, segundo explicou, as equipas estarão na vila termal no período diurno, entre as 09:00 e as 18:00, mas o comandante referiu que os horários e os meios poderão ser reajustados em caso de necessidade.

Se os resultados deste “projeto-piloto” forem positivos, poderá repetir-se nos próximos anos.

A iniciativa está a ser concretizada em colaboração com a Câmara de Vila Pouca de Aguiar e a Junta de Freguesia de Bornes de Aguiar, onde está inserida Pedras Salgadas.

A corporação de Vila Pouca de Aguiar possui um corpo ativo de 81 elementos e vai ser reforçada com mais 13 elementos que estão a terminar a formação.

Tem neste momento duas equipas de intervenção permanente (EIP) e vai protocolar uma terceira, que deverá entrar em funções em outubro.

Hugo Silva disse ainda que, como reforço para o dispositivo de combate a incêndios florestais em 2022, tem mais duas equipas de combate e uma outra de apoio logístico, que estarão prontas para atuar “24 sobre 24 horas”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.