Sexta-feira, 3 de Dezembro de 2021

Bragança e León apresentam áreas para captação de fundos comunitários

As regiões de Bragança, em Portugal, e León, em Espanha, apresentaram hoje linhas orientadoras de uma estratégia comum para procurarem financiamento europeu, no novo quadro comunitário, para satisfazer necessidades nos dois lados da fronteira.

-PUB-

Os dois territórios ibéricos estão junto no Agrupamento Europeu de Cooperação Transfronteiriça (AECT) León-Bragança, que é o responsável por estas orientações plasmadas num Plano Estratégico que foi apresentado hoje, em Bragança, ainda sem medidas concretas, nem pacote financeiro.

A elaboração do plano foi adjudicada por 250 mil euros, financiados pela União Europeia, a um consórcio constituído por duas empresas, uma portuguesa e outra espanhola, que definiu cinco áreas prioritárias para investimento, nomeadamente o setor primário com a agricultura, agroalimentar e ambiente, o turismo, coesão social cultura e desenvolvimento económico.

Os projetos e ações concretas “vão ser desenvolvidos quando abrirem as linhas de financiamento” da União Europeia e estiverem definidos os regulamentos do próximo quadro comunitário de apoio, para o período entre 2021 e 2027, como explicou o presidente da Câmara de Bragança e do AECT, Hernâni Dias.

Da mesma forma, os responsáveis não avançam com valores ou um pacote financeiro para o plano estratégico, com o autarca português a indicar que dependem do que conseguirem da Europa.

“Os regulamentos ficarão definidos provavelmente no final do ano, início de 2020. Quando isso acontecer, nós estaremos com todo o empenho à procura de soluções e de financiamento e aí queremos o máximo que conseguirmos”, disse.

O vice-presidente do AECT e presidente da diputación de León, Eduardo Morán Pacios, sustentou que o que foi feito neste plano “foi definir o trabalho base” e no futuro irão adaptando as linhas orientadoras ao “território, necessidades e possibilidades de conseguir ajudas para concretizar os projetos futuros”.

Os problemas dos dois lados da fronteira, como apontou, “são idênticos”, como a falta de Internet nalgumas zonas rurais de Espanha, que o presidente da Diputación quer resolver, e que persistem também no lado português, embora no que toca a telecomunicações Bragança esteja “muito mais avançada”, como reconheceu.

Independentemente das medidas que vierem a ser definidas, há “projetos que têm sido reivindicados há bastante tempo” e continuarão nas prioridades dos dois parceiros ibéricos, entre eles a ligação rodoviária de Bragança a Puebla de Sanábria e a continuação, em Espanha, até León, como sublinhou o autarca de Bragança, Hernâni Dias.

“São projetos que não deixaremos cair em circunstância nenhuma e que diariamente, se for necessário, estaremos a falar sobre eles para que consigamos sensibilizar os decisores políticos, quer do lado de Portugal, quer do lado de Espanha, para a importância destas ligações no processo de desenvolvimento transfronteiriço”, afirmou.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.