Quinta-feira, 30 de Junho de 2022

Câmara abre ao público núcleo arqueológico o Bairro do Castelo

O projeto de regeneração urbana “Viver Lamego” que a Câmara Municipal começou a desenvolver em 2008 para, entre outros objetivos, inverter a desertificação populacional do Bairro do Castelo e aumentar a sua atratividade turística dará um novo passo com a abertura ao público do Núcleo Arqueológico da Porta dos Figos, agendada para amanhã.

Na véspera, decorreu, a apresentação pública do respetivo projeto pela equipa responsável pelo mais importante conjunto arqueológico descoberto em Lamego, que ilustra a dinâmica de transformação da cidade ao longo de mais de dois mil anos de história.

Dispostos em “camadas” sobrepostas, os vestígios vão proporcionar ao visitante uma “viagem no tempo”, desde a mais recuada ocupação residencial daquele espaço, nos períodos romano (sécs. I a V) e suevo-visigodo (sécs. V-VII), quando a cidade foi promovida a sede episcopal, passando pela sua transformação num cemitério (sécs. IX-XI), abandonado para dar lugar à nova cintura muralhada da cidade (sécs. XII-XIII) e ao casario que está na origem do urbanismo atual do Bairro do Castelo. 

O público poderá visitar o novo equipamento museológico de terça a domingo, entre as 10h00 e as 18h00. A entrada é gratuita. No interior, dispõe de um percurso que permite a leitura das estruturas arqueológicas, acompanhada de uma videoprojeção e da exibição de objetos encontrados no local, com destaque para um importante tesouro monetário romano, do séc. IV, bem como de peças de cerâmica, vidro e outros objetos ilustrativos do quotidiano de quem habitou aquele espaço ao longo do tempo. Um ecrã interativo permitirá explorar informação sobre o cemitério e os dados bioantropológicos dos indivíduos nele sepultados.

O Núcleo Arqueológico da Porta dos Figos integra o Centro Interpretativo da História da Cidade, composto por outros três polos: o Bairro do Castelo, o Castelo e a Cisterna. Este projeto foi objeto de uma candidatura ao “ON.2  – O NOVO NORTE”, no valor de 256.195,61€, com um cofinanciamento de 85 por cento.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.