Segunda-feira, 27 de Setembro de 2021
© DR

CAPOLIB combate a lagarta do pinheiro

A Cooperativa Agrícola de Boticas (CAPOLIB) está a implementar um projeto de controlo e prevenção da processionária (Thaumetopoea pityocampa) ou lagarta do pinheiro, uma praga vulgar em Portugal, que infesta sobretudo os povoamentos florestais de pinheiro bravo e manso.

-PUB-

Ao todo vão ser intervencionados mais de 750 hectares de área florestal geridos por três Conselhos Diretivos de Baldios, nomeadamente o de Curros e Antigo, o de Fiães do Tâmega e Veral e ainda o de Mosteirão, estando estas unidades de baldio integradas no Agrupamento de Baldios do Concelho de Boticas, cuja dinamização está a cargo da CAPOLIB.

De acordo com a cooperativa, o investimento prevê a identificação de árvores com sintomas, a instalação de armadilhas iscadas com feromonas, captura e monitorização das armadilhas, bem como o corte e remoção dos ninhos nas árvores identificadas com a praga, sendo que todo o processo é feito por fases e tendo em consideração o ciclo biológico do inseto.

As informações recolhidas em cada uma das intervenções realizadas no âmbito deste projeto “são registadas numa plataforma digital do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) para acompanhamento e monitorização”.

Com a execução destas ações, pretende-se “minimizar o impacto negativo e os danos causados pela processionária ao nível do crescimento e desenvolvimento das árvores, assim como contribuir para uma melhor gestão do vasto povoamento florestal de pinheiro bravo existente no concelho”.

O projeto tem a duração de três anos e decorre no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR 2020), através da Prevenção da Floresta contra Agentes Bióticos e Abióticos.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.