Quinta-feira, 7 de Julho de 2022

Casas de alterne “passadas a pente fino”, em operação da GNR

Numa rusga efectuada entre as 0 e as 4 horas de quinta-feira, a GNR identificou sete mulheres brasileiras e uma angolana, em três bares de alterne, em A-de-Barros (Sernancelhe), Ponte do Abade (Aguiar da Beira) e Moimenta da Beira. Foi detida uma mulher brasileira, em situação ilegal e três outras foram notificadas para abandonar o […]

Numa rusga efectuada entre as 0 e as 4 horas de quinta-feira, a GNR identificou sete mulheres brasileiras e uma angolana, em três bares de alterne, em A-de-Barros (Sernancelhe), Ponte do Abade (Aguiar da Beira) e Moimenta da Beira. Foi detida uma mulher brasileira, em situação ilegal e três outras foram notificadas para abandonar o país. As restantes, ficaram sujeitas à apresentação periódica, no SEF de Aveiro e Viseu. As visadas, com idades entre os vinte e os trinta anos, foram surpreendidas pelas forças militares, quando se encontravam a “trabalhar”, nos referidos estabelecimentos. Participaram nesta operação dez militares, auxiliados com duas viaturas.

Segundo uma fonte da GNR, “esta acção visava o controlo da presença de cidadãos estrangeiros em Portugal, especialmente os ligados a bares e outros estabelecimentos de diversão nocturna”. Segundo a mesma fonte, na região das Beiras, cerca de 98% das mulheres que estão em casas de alterne são de nacionalidade brasileira, havendo outras, de outras nacionalidades, em menor escala, nomeadamente angolanas e de alguns países de Leste.

Esta foi a sexta vez que a GNR de Moimenta da Beira levou a cabo, este ano, este tipo de operação.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.