Quarta-feira, 4 de Agosto de 2021

Club Vila Real no Open da Siemens

Em Mafra, o Club fez-se representar por cinco dos mesatenistas que realizaram uma prova abaixo dos seus pergaminhos, apesar de terem dado uma tremenda luta aos adversários.

-PUB-

Joel Bicho não passou o seu grupo de qualificação, tendo perdido por 1-3 com Cristiano Florêncio (Cimentos de Liz) e 2-3 com Mário Carpelho (Academia 8 de Janeiro).

António Burgos apresentou-se com o seu jogo de ataque um bocadinho abaixo do nível que lhe reconhecemos, tendo ainda uma ligeira lesão no seu joelho esquerdo. Mesmo assim, venceu o seu grupo de qualificação, em que teve como adversários Prisciliano Ferreira (G.D. Ramiro José) e Filipe Taveira (Fidelidade). Seria eliminado, no mapa final, com 0-3 por David Santos (Academia 8 Janeiro).
Luís Pereira, batido por 1-3, apesar dos parciais muito discutidos, foi eliminado por Eduardo Santos (BPI).

Bruno Chora não conseguiu repetir a performance do anterior torneio, em que obteve o 3º lugar do pódio. Desta vez foi afastado por 2-3 pelo chinês Wai Lei (BPI).

Por fim, o jogador clubista, José Paiva, bateu por 3-0 Paulo Malva (EDP-Lisboa), por 3-0 Rui Cervantes (Núcleo de Valongo), curiosamente um vila-realense. Cedeu nos quartos de final por 3-2 perante Alexandre Balbino (G.D. Pirescôxe), que foi o finalista vencido deste open. José Paiva alcançou o 6º lugar na classificação final.

Pela negativa, fica o facto de o Club não ter conseguido arrecadar mais um prémio coletivo: 1º Grupo Desportivo Pirescôxe, 2º Grupo Dramático Ramiro José e 3º Desportivo Monte Real. João Tenente (G.D. Ramiro José) foi o vencedor individual.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.