Terça-feira, 19 de Outubro de 2021

“Comércio + Ativo” pretende revitalizar a economia local

A Câmara do Peso da Régua e a associação comercial local lançaram a campanha “Comércio + Ativo” com vista à revitalização do setor, ao incentivo às compras no concelho e à recuperação da economia.

-PUB-

O município e a Associação Comercial e Industrial dos concelhos do Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião e Mesão Frio (ACIR) uniram esforços para a “dinamização do comércio local” e o “incentivo de práticas que poderão conferir segurança às pessoas”.

O objetivo, segundo explicou em comunicado a câmara do distrito de Vila Real, é que o “regresso à normalidade se faça com tranquilidade e com confiança nos agentes de saúde pública”.

Na segunda-feira arrancou a primeira fase do plano de desconfinamento e de reativação da economia com a reabertura de pequenas lojas de rua que tenham até 200 metros quadrados, assim como cabeleireiros, livrarias ou os ‘stands’ de automóveis.

A iniciativa “Comércio + Ativo” designa um conjunto de ações concertadas entre autarquia e ACIR, com vista à “revitalização do comércio e à motivação das pessoas para que façam as compras no concelho e, dessa forma, contribuam para a recuperação da economia local”.

Nesse sentido, as duas entidades estão a distribuir pelos espaços comerciais um manual com os procedimentos internos que cada um deverá adotar, por forma a ser garantido o acesso dos clientes em segurança.

Entre as medidas aconselhadas estão, por exemplo, a manutenção da porta aberta para minimizar o contacto com a mesma e as respetivas maçanetas, a criação de percursos internos de orientação, que os clientes deverão seguir no sentido de evitar o cruzamento entre eles, e a permanência no interior do estabelecimento de apenas um cliente por cada 20 metros quadrados.

O guia de boas práticas aconselha ainda que, para garantir a presença de um menor número de colaboradores em simultâneo, sempre que possível, deverá ser reduzido o horário de funcionamento, de forma a permitir a sua rotatividade, e que todos os colaboradores devem usar equipamentos de proteção individual adequados e proceder à higienização constante das mãos e dos equipamentos.

Nas lojas de roupa, os provadores devem ser desinfetados após cada utilização, deve ainda ser disponibilizada uma solução antissética de base alcoólica para utilização dos clientes e os produtos experimentados que não forem adquiridos deverão ser higienizados ou colocados em “quarentena”.

Nos estabelecimentos comerciais o pagamento deve ser feito através de ‘conctacless’, MBWay ou multibanco (neste último caso não deve tocar no cartão) e deve ser disponibilizado um recipiente fechado com pedal de abertura para colocação de equipamentos usados, como máscaras ou luvas, dotado de um saco duplo. Estes resíduos devem ser colocados no lixo indiferenciado.

Por sua vez, os clientes serão também informados sobre as normas de acesso ao estabelecimento, que deverão ser cumpridas para o bem-estar de todos como o uso de máscara ou a higienização das mãos.

A Câmara do Peso da Régua ordenou o espaço público, colocando nas entradas das áreas comerciais zonas de espera para o cumprimento das distâncias e limites de segurança

Ao sair do estabelecimento comercial, o cliente encontrará a indicação para seguir pelo passeio do seu lado esquerdo, por forma a evitar o cruzamento com as pessoas que pretendam aceder ao mesmo espaço.

Esta iniciativa está inserida no “Passeio + Seguro” que incentiva os peões a circularem sempre pela esquerda das vias evitando, assim, cruzamentos entre pessoas.

Estas medidas “marcam o início do trabalho conjunto" a desenvolver pela Câmara Municipal do Peso da Régua e pela ACIR, no contexto da pandemia pelo Covid-19.

A autarquia disse que a “evolução do plano de desconfinamento permitirá ajustar e definir outras medidas, capazes de potenciar a revitalização do comércio local”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.