Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021

D. José Cordeiro pede uma pós-pandemia de solidariedade, inteligência e coragem

D. José Cordeiro lembrou aos governantes a necessidade e dar “prioridade às pessoas”.

-PUB-

O bispo de Bragança-Miranda pede “inteligência e a coragem, sobretudo para os governantes”, para o tempo depois da pandemia do coronavírus covid-19, com “prioridade às pessoas”, especialmente os que mais precisam.

“Pedimos, na comunhão crente e orante, a inteligência e a coragem, sobretudo para os governantes, para que o pós-pandemia covid 19 seja uma pandemia de solidariedade e bem comum na prioridade às pessoas, especialmente aos que mais precisam”, escreve o bispo D. José Cordeiro.

Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, pelo Secretariado das Comunicações Sociais da Diocese de Bragança-Miranda, o seu bispo, com o presbitério e “toda a comunidade diocesana”, afirma que a ‘linha da retaguarda orante’ “agradecerá” aos da ‘linha da frente’ a sua “heroicidade e dedicação à dignidade da vida humana”.

“É nos gestos de amor, de partilha, de serviço, de encontro, de fraternidade, que encontramos Jesus Cristo vivo, a transformar e a renovar o mundo”, destaca D. José Cordeiro num documento em ‘tempo pascal e de pandemia covid-19’.

O anúncio pascal este ano “chegou no confinamento da casa, como na primeira Páscoa” e o bispo de Bragança-Miranda observa que “há quase um mês em casa para a maioria das pessoas” sente-se “o cansaço e o desgaste” mas “vale mesmo a pena” caminhar juntos.

“Há muitas pessoas que têm de sair da sua casa para outras casas e outros lugares para o serviço do bem comum na luta do mal comum da pandemia Covid-19. Bem-hajam a todos e a cada um”, sublinha.

D. José Cordeiro pede que “toquem novamente os sinos” no próximo domingo, 19 de abril, o segundo da Páscoa que é o “Domingo da Divina Misericórdia”, para a oração do Regina Caeli e do Pai-Nosso.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.