Terça-feira, 6 de Dezembro de 2022
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Dezassete armas ilegais recuperadas pela GNR

Só no último dia da campanha nacional para a entrega de armas em situação ilegal, no distrito de Vila Real, é que foram entregues algumas caçadeiras e revólveres. A GNR recolheu onze armas de defesa e seis de caça, para além de quarenta e três munições, de calibre 6,35 mm.   A campanha para a […]

PUB

Só no último dia da campanha nacional para a entrega de armas em situação ilegal, no distrito de Vila Real, é que foram entregues algumas caçadeiras e revólveres. A GNR recolheu onze armas de defesa e seis de caça, para além de quarenta e três munições, de calibre 6,35 mm.

 

A campanha para a entrega voluntária de armas que estivessem em situação irregular fez com que a GNR recolhesse, no distrito de Vila Real, onze armas de defesa e seis de caça. Recorde-se que esta iniciativa foi anunciada em Agosto de 2006, decorrendo até ao dia 20 de Dezembro. Contudo, apenas teve uma maior visibilidade durante este mês, com campanhas publicitárias desenvolvidas na TV e, até, nas Caixas de Multibanco.

Em relação às armas de defesa, foram entregues nove, de calibre 6,35 mm, e dois revólveres, “ponto 22 longo”. No que concerne às armas de caça, cinco eram caçadeiras e uma de pressão de ar. Foi na área de Comando de Destacamento de Peso da Régua que abrange os concelhos de Santa Marta de Penaguião, Régua, Mesão Frio e Alijó que mais armas foram recebidas. Ao todo, sete, quatro de caça e três de defesa. Depois, seguiu-se Boticas, com quatro armas, duas de defesa, duas de caça e, ainda, quarenta e três munições, de calibre 6.35 mm. As restantes armas foram entregues nos postos da GNR de Valpaços (duas de defesa), Mondim de Basto (duas de defesa), Chaves (uma de defesa) e Cerva (uma de defesa). Deste armamento, foram registados seis pedidos de legalização, no que concerne às armas de defesa, e três de caçadeiras. De referir, ainda, que todas estas armas foram entregues, precisamente, no último dia da campanha, cujo “timing”, conforme apurámos, junto de vários elementos da GNR, deveria ser mais alargado e publicitado mais cedo. Assim sendo, mais armas teriam sido, provavelmente, entregues. Sublinhe-se que, na área de Vila Real, a GNR não recebeu qualquer arma.

 

Jmcardoso

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.