Terça-feira, 7 de Dezembro de 2021

EDP ameaça avançar com obra à revelia do Governo

Apesar de o Governo ter anunciado que a barragem de Fridão não seria uma obra para levar avante, a EDP não aceita ficar sem os 218 milhões dados como sinal, ameaçando avançar com a obra se esse valor não for devolvido.

-PUB-

Ana Brazão, da GEOTA afirma que qualquer avanço da EDP no sentido de construir a barragem poderia constituir um crime de desobediência civil, porque a obra não tem contrato de concessão de utilização do domínio público hídrico.

Depois de uma entrevista dada pelo presidente da empresa elétrica à RTP, esta responsável da associação ambientalista referiu que este comportamento, por parte da EDP, é semelhante ao comportamento de um “rufia, que assusta e confunde as pessoas que seriam afetadas pela barragem, não olhando a meios para que lhe seja pago o montante que exige”, considerando que “esta é uma forma de bullying ao Estado, mas, acima de tudo, às populações locais, colocando em causa uma decisão muito

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.