Sábado, 2 de Julho de 2022

Elói Ribeiro quer um partido “pró-activo”

Após três mandatos com Fernando Campos a liderar a vida política, ao nível distrital do PSD, chegou a vez de Elói Ribeiro regressar ao cargo que já ocupou, também, durante três mandatos. Desta feita, o social-democrata quer “rejuvenescer o partido” e ter uma acção “pró-activa”, capaz de auscultar a sociedade vila-realense.   Elói Ribeiro é, […]

Após três mandatos com Fernando Campos a liderar a vida política, ao nível distrital do PSD, chegou a vez de Elói Ribeiro regressar ao cargo que já ocupou, também, durante três mandatos. Desta feita, o social-democrata quer “rejuvenescer o partido” e ter uma acção “pró-activa”, capaz de auscultar a sociedade vila-realense.

 

Elói Ribeiro é, agora, o Presidente da Direcção da Comissão Política Distrital do Partido Social-democrata (PSD), organismo que, no dia 7, viu tomar posse aos seus vários Órgãos Sociais.

A lista única, encabeçada por Elói Ribeiro, teve os votos favoráveis de 633 militantes, tendo o sufrágio contado, ainda, com 52 votos em branco e 7 nulos, num total de 692 eleitores votantes, num universo de 1636 militantes.

Segundo o dirigente partidário, “pelo facto de não estarmos em tempo eleições, é altura de parar, para pensar no partido. Vamos ter espaço, ter tempo de respirar e pensar numa estratégia que tem que assentar na capacidade pró-activa de auscultar a sociedade em que estamos inseridos. Para além de querer “rejuvenescer” o organismo partidário, Elói Ribeiro garante que não vai “reivindicar à toa”, não vai ter sempre “uma postura do contra”, quer, antes, trazer o conhecimento das “elites” para o seio do partido, “mantendo, sempre, a matriz ideológica do PSD”.

No acto eleitoral foi escolhido, também, o novo Presidente da Mesa da Assembleia da Comissão Política Distrital, Fernando Campos que, nesta função, substitui João Batista.

 

MM

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.