Terça-feira, 11 de Maio de 2021

Empresários “preocupados” com quebras acentuadas na procura

A maioria das empresas de Vila Real, cerca de 54%, sofreram uma “quebra na procura em valores entre os 80 a 100%”, devido à pandemia do novo coronavírus.  

De acordo com um estudo, cerca de 18% das empresas suspendeu totalmente a produção e 27,3% sente dificuldade no abastecimento de matérias-primas, em virtude de trabalharem com produtos oriundos de Itália, cujas unidades de produção encerraram. E outras pelo facto de trabalharem com produtos semiacabados provenientes da China e Coreia do Sul. Por outro lado, 72,7% das empresas refere que ainda não sentiu dificuldades de abastecimento. 

Estas são algumas das conclusões do estudo levado a cabo pela NERVIR – Associação Empresarial aos seus associados, que se realizou entre os dias 25 e 26 de março.

Relativamente aos fatores que mais podem prejudicar a atividade empresarial, 81,8% referiu em primeiro lugar vêm “os problemas de tesouraria” e a “quebra da procura”.

Questionadas sobre a redução da procura, 54% das empresas apontaram uma redução entre 80 a 100%, 18,2% uma redução de 60% e, as restantes, entre 10 a 40%.

Como principais medidas que gostariam de ver implementadas, para ajudar a minorar a atual situação, as empresas associadas da NERVIR apontam o “apoio à tesouraria a fundo perdido e não empréstimos”. Defendem também que deveria ser o Estado a substituir-se às empresas no pagamento de salários”.

Perante uma situação tão adversa e inesperada, os empresários gostariam também de ver anulado o “pagamento de IRC por conta em 2020, com moratória de 12 meses para financiamentos a decorrer e spread máximo de 1% para novos financiamentos para micro e pequenas empresas”.

Outras medidas poderiam passar pela “suspensão dos impostos”, as “ajudas rápidas à tesouraria das empresas” e a “possibilidade de lay-off e a sua simplificação”, mesmo nos casos em que exista um encerramento ou suspensão parcial da atividade da empresa.

O inquérito abrangeu empresas de serviços (45,5%), agricultura (27,3%), e o comércio e indústria (ambas com 18,2% cada). 

“VILA REAL ON”

A autarquia e o Regia Douro Park  vão lançar o programa “Vila Real ON”, que vai incluir uma plataforma online e uma aplicação, que agrega informações relativamente às empresas que estão em funcionamento.

Em comunicado, a câmara explica que a informação será recolhida para posteriormente ser disponibilizada aos cidadãos, através de uma plataforma online e de uma ‘app’.
Assim, todos os estabelecimentos que pretendam figurar nessa plataforma devem preencher o formulário disponível no site do município.

Contactos “Vila Real On”:

vilarealon@regiadouro.com

259 308 200

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.