Sexta-feira, 30 de Setembro de 2022

Festival do Moscatel do Douro divulgou o melhor da região

Durante três dias, Favaios encheu-se de gente para saborear os sabores e beber os melhores vinhos produzidos no concelho, onde não faltou a animação musical, com Pedro Abrunhosa, Gisela João, e Ruizinho de Penacova.

-PUB-

Com cerca de duas dezenas de expositores, o certame quer afirmar-se como uma referência no Douro, como afirmou o presidente da Adega de Favaios, Mário Monteiro. “Pretendemos divulgar o moscatel de Favaios, que pertence ao Douro. E queremos chamar a atenção para o resto do país, que Favaios produz um moscatel de muita qualidade”.

‘Queremos chamar a atenção para o resto do país, que Favaios fica no Douro e produz um moscatel muito famoso”
Mário Monteiro

Com a aposta na internacionalização, as exportações representam um terço das vendas da adega. “É um número muito bom e estamos em todos os países da diáspora, no Brasil, Estado Unidos, China, Angola, Moçambique, Canadá”, referiu Mário Monteiro, que está mais otimista para esta vindima, onde espera um aumento de 10% em relação ao ano passado, porque as uvas do nosso planalto resistiram muito bem ao calor”. 

Mas Favaios não é só famoso pelo seu moscatel, mas também pelo pão de quatro-cantos. 

Filipa Queirós, da Padaria Queirós, revela a importância de apresentar o melhor da terra nestes eventos. “Temos estado presentes em todas as edições para mostrar o delicioso pão de quatro-cantos, em que o segredo é ser feito com amor, mas também é trabalhado manualmente e depois cozido em fornos de lenha”. 

“O pão de quatro cantos é trabalhado manualmente e depois cozido em forno de lenha”
Filipa Queirós

Em relação ao preço, Filipa revela que apenas subiu 0,10 cêntimos, em relação ao último festival, custa agora 0,60 cêntimos. 

José Lopes, da Casa do Seixo, trouxe licores e azeite para mostrar aos visitantes. “É importante mostrar os nossos produtos e também divulgar o que melhor se faz na região. Temos licores produzidos com produtos da terra, desde a baga de zimbro, de uva moscatel, mirtilo, noz, medronho, cereja, tudo que seja frutos da terra”.  

José Paredes, presidente da câmara municipal, relembrou que o moscatel “é o principal produto do planalto de Alijó, com um volume de faturação anual muito grande, que alavanca a economia de Favaios, mas também de Alijó”. 

O moscatel é o principal produto do planalto de Alijó, que alavanca a economia de todo o concelho”
José Paredes 

O autarca frisou ainda a importância do vinho para o concelho, que “este ano lhe dedicou uma feira vocacionada para a promoção dos vinhos dos Altos, onde o moscatel se insere, mas como este é tão importante para a economia, merece este evento específico”. 

 

 

 

‘Estes certames são importantes para promover os produtos da região”
José Lopes 
-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.