Domingo, 3 de Julho de 2022

Filandorra percorre aldeias e vilas transmontanas

A Filandorra – Teatro do Nordeste entra no mês de agosto com uma vasta agenda de espetáculos programados por toda a região, com destaque para o “regresso” da Companhia às aldeias de Vila Flor a partir do projeto “Teatro no Mundo Rural”.

Assim, e logo no primeiro dia do mês a Filandorra “parte” para território barrosão, mais propriamente para Montalegre, onde vai presentear o público com a divertida comédia popular baseada no original vicentino, A Farsa de Inês Pereira…numa casa Portuguesa. A opção artística de representar este espetáculo não é alheia ao facto de esta época do ano ser marcada pelo regresso de milhares de emigrantes às vilas e aldeias da região, dado que a versão da Filandorra respeita fielmente o texto original, mas atualiza a galeria de personagens vicentinas no espaço e no tempo modernos ao som de ícones musicais da atualidade, transformando a ida ao teatro num encontro entre gerações e no (re)encontro com a cultura portuguesa.

O espetáculo, com entrada gratuita, terá lugar pelas 21h30 no Castelo de Montalegre, e decorre do Protocolo de Cooperação entre a Câmara Municipal de Montalegre e a Filandorra nos domínios da formação e animação teatral.

A Farsa de Inês Pereira é também o espetáculo que “viaja” até às aldeias de Vila Flor no próximo fim-de-semana, no âmbito da iniciativa “Teatro no Mundo Rural”, que decorre do Protocolo de Cooperação que esta Companhia Profissional de Teatro mantém com a autarquia de Vila Flor, e que tem como objetivo dinamizar os centros e associações culturais, praças e largos das aldeias do interior transmontano, permitindo o acesso do público do interior ao teatro, que de outra forma não seria possível longe que estão das grandes salas de teatro.

Depois de Roios, Benlhevai e Seixo de Manhoses, a iniciativa estende-se agora às freguesias de Mourão, Assares e Vale Frechoso nos dias 04, 05 e 06 de agosto, respetivamente.  A história de Inês Pereira, jovem caprichosa e ambiciosa, que anda encantada por Brás da Mata, galante combatente, mas é pressionada a casar com Pêro Marques, um lavrador simples e sem cultura… é representada ao ar livre, pelas 21h00, transformando as noites quentes de verão num harmonioso convívio entre público, teatro e cultura portuguesa.  

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.