Terça-feira, 7 de Dezembro de 2021
© Arquivo VTM

Governo vai fazer um périplo pelo melhor e pior da Saúde em Portugal

O Governo vai percorrer o país para conhecer o que de melhor e pior acontece na Saúde em Portugal, numa iniciativa que deverá ocorrer nos próximos dias, indicou hoje a ministra da Saúde.

-PUB-

Marta Temido não concretizou datas, mas confirmou que “há várias iniciativas que estão programadas para conhecer melhor aquilo que é a realidade das coisas boas e das coisas menos boas que acontecem por esse país e irá acontecer nos próximos dias”.

A ministra falava em Vinhais, à margem da inauguração oficial da Unidade de Cuidados Continuados que está a funcionar há mais de meio ano.

O equipamento acolhe 20 doentes a necessitarem de cuidados depois de alta médica e dá resposta a uma população envelhecida, além de contribuir para fixar a mais jovem com 23 postos de trabalho, como indicou António Alberto, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Vinhais, a proprietária da Unidade.

António Alberto alertou, contudo, a ministra de que a comparticipação do Estado para o tratamento destes doentes é a mesma paga em Vinhais como em Lisboa e “viver em Vinhais é muito mais difícil do que em Lisboa”.

“Aqui, ao fim de dois ou três anos, uma viatura está desfeita”, exemplificou, referindo-se ao desgaste das deslocações por longas distâncias e em vias em mau estado e com difícil traçado, de curva contra curva, como acontece com a principal estrada do concelho, que liga Vinhais a Bragança, havendo promessas para a sua requalificação desde há anos.

O presidente da Câmara, o socialista Luís Fernandes, aproveitou a oportunidade para vincar que as aldeias estão longe da sede do concelho e do hospital de referência da região, que é o de Bragança.

A própria ministra testemunhou a dificuldade da principal ligação quando lhe foi dito que pouco mais de 30 quilómetros não é rápido nestas estradas, como partilhou com os presentes.

O autarca local sublinhou a importância da ligação a Bragança, referindo que “um minuto pode fazer toda a diferença ao nível da saúde".

Marta Temido indicou que aproveita esta deslocação ao Nordeste Transmontano para ainda hoje se reunir com os responsáveis da Unidade Local de Saúde e discutir as carências locais.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.