Sábado, 2 de Julho de 2022

Hospital de Cuidados Continuados deverá abrir no segundo semestre deste ano

No segundo semestre deste ano, deverá abrir o Hospital de Cuidados Continuados da Santa Casa de Misericórdia de Ribeira de Pena. Esta garantia foi dada pelo Presidente da Câmara local, Agostinho Pinto, depois de um encontro mantido, anteontem, com a Administração Regional de Saúde do Porto. Neste encontro, foi abordado o protocolo estabelecido entre esta […]

No segundo semestre deste ano, deverá abrir o Hospital de Cuidados Continuados da Santa Casa de Misericórdia de Ribeira de Pena.

Esta garantia foi dada pelo Presidente da Câmara local, Agostinho Pinto, depois de um encontro mantido, anteontem, com a Administração Regional de Saúde do Porto. Neste encontro, foi abordado o protocolo estabelecido entre esta última entidade, a autarquia e a Misericórdia de Ribeira de Pena.

Este encontro veio na sequência da implementação, para o concelho, de um plano denominado “Sistema de Saúde para o concelho de Ribeira de Pena”.

“Foi dado um passo importante para a implementação deste Sistema que inclui o Hospital e respectiva Unidade de Fisioterapia e Recuperação e o Centro de Saúde” – disse Agostinho Pinto, acrescentando: “A ARS Norte mostrou disponibilidade e abertura para colaborar neste projecto, no qual, obviamente, se inserem todas estas estruturas”.

Segundo o edil, “vai haver uma melhoria no apoio médico à população do concelho. Vamos ter mais médicos, devido às valências a funcionar, sendo que o Hospital terá um regime de 24 horas”. Ainda, de acordo com a sua versão, “o Centro de Saúde poderá ficar com dez camas para convalescença, sendo que o horário do funcionamento do SAP se manterá das 8 às 21 horas.

“Foi-nos garantido que, caso se justifique um alargamento sazonal no Verão, um horário de funcionamento até às 24 horas, devido à vinda dos emigrantes. As pessoas com a implementação do Sistema de Saúde de Ribeira de Pena não vão ter a necessidade de se deslocar para Vila Real, Porto, ou, mesmo, Cabeceiras de Basto ou Fafe” – sublinhou.

Refira-se que o Município investiu cerca de um milhão de euros na construção da Unidade de Cuidados Continuados e no imóvel para a Fisioterapia, valor este que Agostinho Pinto considera “recuperável, a médio prazo”, pois “a autarquia está a transportar, gratuitamente, os idosos, para tratamentos de fisioterapia e consultas médicas, o que provoca custos mensais de milhares de euros”.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.