Sábado, 27 de Novembro de 2021
Ação serviu para preservar espécies. ©DR

LEPI promoveu “Fim de Semana da vaca-loura”

O Núcleo de Estudos de Eco-Integridade (LEPI) promoveu a terceira edição do “Fim de semana da vaca-loura” em Vila Real.

-PUB-

Esta ação pretendeu ser um “exemplo europeu do envolvimento dos cidadãos na conservação de organismos ameaçados” e teve como objetivo “alertar a população para as ameaças que espécies de escaravelhos como o Lucanus cervus (Vaca-Loura) enfrentam com a perda do seu habitat natural”. A larva deste escaravelho alimenta-se de madeira morta de espécies do género Quercus em especial o Carvalho alvarinho (Quercus robur), existindo também relatos e registo da mesma a surgir em castanheiros (Castanea sativa).

A fase larvar dura mais de dois anos para completar e originar um adulto. Estes desempenham um importante papel ecológico ao conseguirem degradar material celulósico morto, contribuindo desta forma para a regeneração e reintrodução de nutrientes no ecossistema.

Em Vila Real são escassos os locais com registos de presença/observações destes exemplares, cujos adultos começam a surgir na altura de maior calor do ano, ou seja, entre finais de maio até meados de julho.

A LEPI tem estado a reunir esforços para mapear as árvores onde esta espécie pode ser encontrada, assim como a sensibilizar as populações locais para que os seus habitantes possam vir a contribuir para a monitorização desta espécie, comunicando sempre que souberem da presença ou avistamento de exemplares deste escaravelho.

Desta forma, se sabe de algum local em particular onde esta espécie ocorre ou avistou algum exemplar por favor comunique enviando mensagem eletrónica para o mail da LEPI.


Para mais informação visite: facebook.com/LEPIVILAREAL

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.