Domingo, 22 de Maio de 2022

Mais 30.757 novas infeções, 44 mortos e menos internamentos

Portugal registou 30.757 novas infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, mais 44 mortes associadas à covid-19 e uma descida nos internamentos, indicou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o boletim epidemiológico diário, hoje estão internadas 2.419 pessoas, menos 141 do que na segunda-feira, enquanto nas unidades de cuidados intensivos estão menos sete, num total de 171, sendo que nem todos os internamentos se devem à covid-19, podendo ser motivados por outras patologias apesar da existência de infeção com SARS-CoV-2.

No domingo estavam internados 2.511 pessoas, o valor mais alto desde 25 de fevereiro do ano passado.

O número de casos ativos voltou hoje a diminuir, havendo agora 599.997, menos 8.150 do que na segunda-feira, e nas últimas 24 horas foram dadas como recuperadas 38.863 pessoas, passando a contabilizar um total de 2.343.448.

Das 44 mortes registadas nas últimas 24 horas, 14 ocorreram na região Norte, 12 em Lisboa e Vale do Tejo, nove no Centro, seis no Algarve, duas na Madeira e uma no Alentejo.

A maior parte das vítimas mortais com covid-19 tinha mais de 80 anos (29), tendo ainda sido registados nove óbitos entre os 70 aos 79 anos e seis entre os 60 e os 69 anos.

O Norte continua a ser a região do país com mais novos casos diários, com mais 10.725 infeções, seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo, com mais 8.935, o Centro (6.710), o Alentejo (1.547), o Algarve (1.176), os Açores (1.152) e a Madeira (512).

Nas últimas 24 horas foram colocados em vigilância menos 10.014 contactos, que totalizam agora 655.520.

Segundo a DGS, desde março de 2020 foram infetadas em Portugal 2.963.747 pessoas com o SARS-CoV-2 e foram declaradas 20.302 mortes associadas à covid-19.

O maior número de novos casos diagnosticados situa-se nos grupos etários entre os 40 e os 49 anos, com 5.251 novas infeções nas últimas 24 horas. Seguem-se o dos 10 aos 19 anos (5.225 novas infeções), o dos 30 aos 39 anos (4.715), entre os 20 e os 29 (3.970), até aos 9 anos (3.848), entre os 50 e os 59 anos (3.027), entre os 60 e os 69 anos (2.172), entre os 70 e 79 anos (1.421) e dos idosos com mais de 80 anos (1.078).

Desde o início da pandemia, em março de 2020, a região de Lisboa e Vale do Tejo registou 1.059.782 casos e 8.510 mortes.

Na região Norte registaram-se 1.144.795 infeções e 6.175 óbitos e a região Centro tem agora um total acumulado de 431.483 infeções e 3.579 mortes.

O Algarve totaliza 115.460 contágios e 656 óbitos e o Alentejo soma 100.469 casos e 1.140 mortos por covid-19.

A Região Autónoma da Madeira soma desde o início da pandemia 68.563 infeções e 172 mortes e o arquipélago dos Açores 43.195 casos e 70 óbitos.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

De acordo com DGS, foram contabilizados 1.384.890 casos de infeção em homens e 1.576.180 em mulheres, havendo 2.677 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

Desde março de 2020 morreram 10.680 homens e 9.622 mulheres de covid-19.

A covid-19 provocou pelo menos 5.748.498 de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

A variante Ómicron, que se dissemina e sofre mutações rapidamente, tornou-se dominante do mundo desde que foi detetada pela primeira vez, em novembro, na África do Sul.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

Homem encontrado morto em casa

PREMIUM

Um lar a que todos chamam casa

Homem morre em colisão

Homem morre afogado em Valdanta

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.