Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

Mirandela e Valpaços inauguraram troço que liga os dois concelhos

Após um trabalho prévio de identificação do traçado e do lançamento do primeiro marco em novembro de 2021, o Caminho Português de Santiago do Este está, agora, pronto a receber peregrinos

Com quase 60 quilómetros de extensão, o troço do Caminho Português de Santiago do Este liga Valpaços e Mirandela ao Caminho Português Interior de Santiago, em Chaves. Ali, oferece ligação à Via da Prata que, desde a fronteira em Vilarelho da Raia, percorre 173 quilómetros em solo espanhol até alcançar o destino.

O trajeto foi oficialmente apresentado no Centro Cultural de Mirandela, num “momento muito ansiado pelos dois municípios. É o corolário do trabalho em volta do projeto dos Caminhos de Santiago do Este que, numa candidatura comum, levaram a efeito. Estamos certos de que será um fator de desenvolvimento cultural, turístico e económico”, destacou Vítor Correia, vereador da Câmara de Mirandela.

“Contribuirá, certamente, para a afirmação do território nas suas diversas vertentes” e “representa um desafio no que diz respeito à promoção e desenvolvimento. Este momento é, apenas, o ponto de partida de um caminho que se afigura de relevo, de grande interesse local, nacional e internacional”.

Para Jorge Mata Pires, vereador da Câmara Municipal de Valpaços, este “é um projeto que muito nos orgulha por várias razões. Dois municípios, de diferentes distritos e Comunidades Intermunicipais, mas unidos geograficamente, aliaram-se para desenvolver um projeto que tem como fio condutor o Caminho de Santiago”.

Enquanto vereador do turismo, “é com particular regozijo que acolho (o projeto), convicto de que reativará e dinamizará uma importante antiga via de peregrinação, dado que no concelho valpacense existem vários monumentos e topónimos associados a Santiago”, destacou.

“Em boa hora o município de Valpaços associou-se a este projeto, sabendo, de antemão, que acarreta desafios. O próximo é consertar as infraestruturas de apoio, fundamentais aos peregrinos, de modo a fomentar o fluxo de visitantes”, avançou.

“Os Caminhos de Santiago irão, em 2022, chegar a números bem próximos de 2019”
LUÍS PEDRO MARTINS
Presidente Turismo do Porto e Norte

Luís Pedro Martins esteve presente na apresentação e realçou a importância do troço. “No Turismo do Porto e Norte acreditamos que os Caminhos de Santiago irão, em 2022, chegar a números bem próximos de 2019”, avançou o presidente da entidade regional.

“O que queremos fazer é valorizar, dinamizar e promover os Caminhos de Santiago, promover a fruição e o acesso às populações locais. Não é só aos turistas, é importante não esquecer”, frisou.

Além disso, o Turismo do Porto e Norte quer “promover a acessibilidade, a utilização correta e responsável dos Caminhos, sensibilizar, disponibilizar informação, seja nas infraestruturas informativas dos troços dos caminhos, seja através de suportes e conteúdos digitais”, aumentando “a capacidade de utilização por parte dos visitantes e, de preferência, contribuir para que os mesmos se demorem no território”, frisou.

“Este é sempre o nosso objetivo. Não estamos a promover a Galiza como, tantas vezes, me dizem. Estamos a promover o território. O setor do turismo consegue olhar para o interior e ver nele uma oportunidade quando, muitos, já só veem fatalidade”, concluiu.

Os municípios de Mirandela e Valpaços desenvolveram e implementaram o projeto Caminho Português de Santiago do Este, integrando, assim, a “rede internacional de itinerários do Caminho de Santiago”, num investimento total de cerca de 250 mil euros, dos quais 85% foram comparticipados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.