Quinta-feira, 15 de Abril de 2021

MP investiga alegados maus tratos no lar da Misericórdia

O Ministério Público está a investigar as denúncias de alegados maus tratos a utentes do lar da Santa Casa da Misericórdia de Valpaços, num processo que está em segredo de justiça, segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR).

“Confirma-se a receção de uma participação. A mesma deu origem a um inquérito dirigido pelo Ministério Público da comarca de Vila Real. Encontra-se em investigação e está em segredo de justiça”, afirmou hoje a PGR, em resposta escrita a um pedido de esclarecimento da agência Lusa.

A mesa administrativa da Santa Casa da Misericórdia de Valpaços informou, na semana passada, que a “gravidade do relato” de alegados maus tratos sobre utentes do Lar de São José justificou que tivesse procedido “à competente denúncia ao Ministério Público para instauração de inquérito criminal".

Disse ainda, num comunicado divulgado na sua página oficial na internet, que abriu "um processo interno de averiguações para total esclarecimento e adoção das medidas disciplinares que ao caso se mostrem adequadas”.

Entretanto, foi divulgada também a suspensão de nove funcionários daquela instituição.

Na base desta tomada de decisão da Santa Casa da Misericórdia de Valpaços, esteve uma denúncia por parte de um filho de um casal de idosos que ali estavam institucionalizados e a divulgação de vídeos gravados no quarto que ocupavam e que revelavam a forma como eram tratados pelos funcionários.

O caso foi alvo de uma reportagem do programa da RTP “Sexta às 9”.

A Santa Casa, naquele comunicado, disse que “desconhece a existência de quaisquer maus tratos ditos praticados em qualquer das suas 10 estruturas residenciais” e afirmou que “tem por primeira preocupação, prestar os melhores cuidados a todos os seus utentes”.

 

 

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.