Quarta-feira, 29 de Maio de 2024
No menu items!

Município espera certificação da cereja até junho

-PUB-

A ambição para o produto mais emblemático deste concelho tem vários anos e o processo “é moroso”, mas o autarca local acredita que este ano será possível concretizar a atribuição de Indicação Geográfica Protegida (IGP) à cereja de Alfândega da Fé.

O selo de qualidade “valorizará ainda mais a cereja” símbolo do município de Alfândega da Fé, que não é o maior produtor nacional do fruto, mas fez dele uma atração gastronómica e turística e motivo de uma feira/festa anual há 37 anos.

Esta cultura serviu também de exemplo à aposta da autarquia em fixar jovens no concelho através da agricultura, vincando hoje numa iniciativa via internet, uma webinar sobre o setor que abriu um ciclo de sessões de reflexão e contributos para a agenda 2030 de Alfândega da Fé.

Há quatro anos, o município avançou com o arrendamento de terras a jovens agricultores para plantarem pomares de cereja e foram feitos quatro investimentos que alargaram a área de produção em mais 25 hectares.

O presidente da Câmara garantiu hoje que este projeto levou outros agricultores a investirem na cultura e quer alargar o incentivo a outros culturas e projetos.

A aposta que está a ser feita no regadio no concelho ou em parcerias com municípios vizinhos, nomeadamente no Vale da Vilariça, tem o propósito de criar condições para o desenvolvimento de projetos e atrair os jovens.

Segundo o autarca há outras culturas em desenvolvimento, desde o azeite aos frutos secos, nomeadamente a castanha com o número de soutos a aumentar no concelho.

A autarquia tem apoiado o setor também no combate a doenças e pragas e com campos de investigação para “ajudar os agricultores a investir e produzir melhor”.

O secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Rui Martinho, participou também nesta webinar, indicando que “duas linhas de ação do Governo estão centradas na valorização da pequena agricultura e na agricultura familiar”.

O governante lembrou que foram aumentados os pagamentos a estas áreas, não foram aplicados rateios às zonas desfavorecidas e as ajudas agroambientais foram alargadas a jovens agricultores que estavam impedidos de se candidatar.

O Governo promete ainda apoios à criação de agrupamentos de agricultores e majorações em linhas de créditos e seguros agrícolas para a agricultura familiar.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS