Sexta-feira, 7 de Maio de 2021
©DR

Museus de Macedo de Cavaleiros sob administração autárquica

Através de um protocolo com a Associação Terras Quentes (ATQ), a autarquia assume a “gestão e dinamização dos museus” para atender aos “interesses do município”.

Em comunicado à imprensa, a Câmara de Macedo de Cavaleiros afirma que o protocolo sobre o museu Martim Gonçalves de Macedo e o museu de Arqueologia Coronel Albino Pereira Lopo tem a validade de um ano e poderá ser renovado mediante certas condições.

Benjamim Rodrigues, autarca macedense, garante que a assinatura do protocolo “é a prova de que acima de qualquer interesse particular está o do nosso concelho e dos nossos munícipes”.

Enquanto que o Município gere os museus, a ATQ é responsável pela “coordenação científica dos espaços museológicos, bem como de todo o seu espólio” e tem a obrigação de tratar de material de divulgação.

No museu Martim Gonçalves de Macedo, a associação tem ainda o dever de “agregar ou substituir espólio (…) relevante para o conhecimento da Batalha de Aljubarrota e o seu impacto na história de Portugal e do concelho de Macedo de Cavaleiros”.

Já no museu de arqueologia, a Terras Quentes tem o dever de “agregação e substituição do espólio arqueológico, de modo a dar a conhecer o passado do concelho e contribuindo para o conhecimento da sua história e identidade”, incluindo ainda a “gestão do espólio proveniente das escavações arqueológicas”.

Com um financiamento de 25 mil euros, Benjamim Rodrigues assegura que a reabertura dos museus foi “garantida com a assinatura deste protocolo”. Não há, por enquanto, data marcada para tal.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.