Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Nossa Senhora da Conceição, São Pedro e São Dinis

Vila Real ou Dom Dinis? Quem vai escolher é a população…

-PUB-

Desde o dia dois e até ao dia 15 a população residente na União de Freguesias de Vila Real (Nossa Senhora da Conceição, São Pedro e São Dinis) vai poder escolher entre duas possibilidades para o novo nome da Junta.

Aquela que é hoje denominada de União de Freguesias de Vila Real, que engloba as três antigas freguesias da zona urbana, vai mesmo mudar de nome e será a população quem vai ter a decisão final. A escolha será entre Freguesia de Vila Real ou de Dom Dinis.

Francisco Rocha, presidente da junta em causa, explicou que Vila Real foi escolhido pelo contexto territorial, já que as três antigas freguesias correspondem à cidade de Vila Real. Já a possibilidade de vir a chamar-se Dom Dinis pretende homenagear o fundador da cidade.

A população pode votar em três locais distintos, a sede da junta (localizada nos Quinchosos) ou num dos seus polos, um situado junto ao Mercado Municipal (antiga sede da Junta de São Pedro) e outro próximo do Estabelecimento Prisional (antiga sede da junta de Nossa Senhora da Conceição).

As três urnas estarão abertas até ao dia 15, nos dias úteis, entre as 9h00 e as 13h00 e das 14h00 às 18h00.

O nome escolhido terá que ser aprovado nas Assembleias de Freguesia e Municipal e, depois, merecer também o aval da Assembleia da República.

Nascida do processo de reorganização administrativa do território, a junta é grande em dimensão, ao somar mais de 20 mil habitantes (representando assim a maior freguesia do distrito), mas também no nome, contanto com um ‘título’ com um total de 84 carateres.

“A lei não previu que as novas juntas, depois de eleitas, pudessem alterar o nome que lhe foi atribuído de forma administrativa, a única prerrogativa concedida era alterar a sede”, recordou Francisco Rocha, esperando que o processo de escolha do novo nome esteja concluído em abril do próximo ano.

 

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.