Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

Nova “Saída” Missionária

“Na Palavra de Deus, aparece constantemente este dinamismo de “saída”, que Deus quer provocar nos crentes. Abraão aceitou a chamada para partir rumo a uma nova terra (cf. Gn 12, 1-3). Moisés ouviu o chamamento de Deus: “Vai; Eu te envio” (Ex 3, 10), e fez sair o povo para a terra prometida (cf. Ex 3, 17). A Jeremias disse: “Irás aonde Eu te enviar” (Jr 1, 7). Naquele “ide” de Jesus, estão presentes os cenários e os desafios sempre novos da missão evangelizadora da Igreja, e hoje todos somos chamados a esta nova “saída” missionária. Cada cristão e cada comunidade há de discernir qual é o caminho que o Senhor lhe pede, mas todos somos convidados a aceitar esta chamada: sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho» (Evangelii gaudium, n. 20).

-PUB-

1º Dinamismo de “saída”. O Papa Francisco ajuda-nos, respigando alguns textos e algumas personagens, a perceber que Deus sempre usou este dinamismo de “saída”, quando convidou Abrão, Moisés, Jeremias, Isaías, etc. E, no Novo Testamento, Jesus fez o mesmo, convidando a deixar a sua terra, o seu ofício, a sua família, a sua cultura, a sua língua, os seus costumes, para serem enviados. A Igreja precisa de uma nova “saída”, para se lançar num dinamismo missionário audaz e decidido. Novos cenários, novos modelos, mas sempre o mesmo Espírito a ajudar a descobrir caminhos novos, meios novos, maneiras novas de nos abrirmos à evangelização. Temos que rezar e refletir a sós e em comum para nos abrirmos à graça do Espírito, em dom de discernimento.

2º O “ide” de Jesus. Deve ecoar dentro de nós, de todos os pastores e de todos os fiéis, o “ide” de Jesus, dito aos Apóstolos. Ser cristão, segui-Lo, é sempre ser enviado aos outros. Descobri-Lo na oração, no estudo, na reflexão tem que ser um convite a ser enviado, como Ele, o Verbo, o Filho amado, foi enviado pelo Pai. Encontrar o Ressuscitado é sempre ser enviado aos outros em missão. E o “ide” que Jesus nos diz vai sendo convite para nos deixarmos enviar sem cessar. Daí o Papa Francisco nos falar da nova “saída” missionária, da maneira sempre renovada de ouvir e acolher o “ide” e sair para novas paragens, novas missões, novos modos de ser apóstolos.

3º Discernir o caminho. A missão exige discernimento em busca constante da vontade de Deus e de novos caminhos de evangelização. Discernimento pessoal e em grupo. Discernimento da autoridade e dos súbditos. Discernimento dos pastores e dos fiéis. Discernimento no seio da família, igreja doméstica, discernimento na paróquia e nas estruturas da diocese. Todos precisamos de discernir qual o caminho que Deus quer para nós, qual o caminho de evangelização. Todos precisamos de nos abrir ao dom da graça para descobrir o caminho da vontade divina. Precisamos de abertura ao Espírito que nos indicará o caminho. Não basta rezar, é urgente o discernimento. Não basta trabalhar, é urgente discernir e pedir a coragem de acertar com a vontade de Deus e de alcançar, como pede o Papa Francisco, todas as periferias que precisam da luz do Evangelho.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.