Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2024
No menu items!

“O artesanato na história da Cumieira” no Conversas na 2

Mais de sete dezenas de participantes estiveram no terceiro evento “Conversas na 2”, subordinado ao tema: “O artesanato na história da Cumieira”.

-PUB-

Durante a sessão foi possível revisitarem memórias, fotografias e histórias dos variados ofícios, desde carreiros, latoeiros, carpinteiros, alfaiates, costureiras, sapateiros, entre outros.

Contudo, nesta histórica terra duriense de enorme importância na ligação entre as abas do Alvão e o Douro Vinhateiro, deu-se evidência à atividade da cestaria, contando com a presença de dois cesteiros, que explicaram e demonstraram todo o processo de produção, desde o corte dos vergueiros no “quarto minguante” da lua, em agosto, para tornar o produto final mais duradouro, aprimorado e menos sujeito a “maleitas”.

Os cesteiros Joaquim Rodrigues e Adelino Cardoso partilharam muita informação, tipo de manuseamento e de fabrico, diferentes tipologias e finalidades.

O tema do artesanato foi selecionado por integrar um modo de produção e de vida que tem vindo a perder importância no seu uso quotidiano, mas que configura uma afirmativa manifestação patrimonial e cultural identitária.

A animação inicial esteve a cargo da Ivete Gonçalves e da Olga Rebelo, com o trecho: “É o vento que me leva”.

Para a presidente da Junta de Freguesia da Cumieira, Isabel Felizardo, estas memórias e práticas “devem ser preservadas como fazendo parte da identidade da comunidade”.
Já Alberto Tapada referiu a urgência no “registo e formas de transmissão do conhecimento interageracional”.

Por sua vez, o professor Marcelino Sousa Lopes, que fez a apresentação do tema central da conferência, referiu que estes eventos são “relevantes momentos de partilha de saberes, de emocionantes escutas de história de vida, num espaço de afetos e de relações humanizadas onde as pessoas são pessoas, ou seja são seres humanos e não recursos humanos”.

Referiu, ainda, que “a Cumieira deu uma boa lição, enquanto comunidade, pela verificação participada de diversos elementos da comunidade local”.

Estas “Conversas”, desenvolvidas na Come na 2, têm vindo a ganhar amplitude e adesão institucional, assentando na parceria com a Junta de Freguesia da Cumieira, o CETRAD – UTAD, o jornal A Voz de Trás-os-Montes e a Rádio Universidade, corporizando um inovador projeto à escala regional.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.